Mondonhedo: ataque repressivo à juventude

2 de Julho de 2008

Dous jovens independentistas galegos som levados a tribunal em Mondonhedo por exercer livre expressom, após denúncia da Guarda Civil espanhola. Assim o explica a organizaçom juvenil independentista BRIGA no seu web, onde se acrescenta que o motivo é a realizaçom de um mural num prédio abandonado numha estaçom de comboios em desuso.

Como mandam os manuais do bom repressor, os elementos fardados incluírom "desobediência à autoridade", perante a atitude nom submissa dos jovens em resposta aos abusos dos guardas civis no momento da identificaçom.

BRIGA convocou umha concentraçom em frente dos tribunais de Mondonhedo em solidariedade com os jovens independentistas, por uns factos acontecidos na comarca da Marinha e que transparecem a total impunidade com que agem as forças repressivas contra o independentismo e contra qualquer movimento social que pretenda manter um discurso diferente do imposto polo regime.

A falta de liberdade de expressom reinante no Estado espanhol ve-se mais umha vez reflectida, desta vez através das suas "democráticas" forças e corpos do estado. Os dous jovens fôrom retidos, identificados, roubados e denunciados pola Guarda Civil na comarca da Marinha. O terrível delito que estavam a cometer era fazerem murais em muros velhos ou de formigom.

De Primeira Linha aderimos à convocatória de BRIGA e denunciamos a criminalizaçom da juventude, tratada de delinqüente por dar um passo à frente da defesa dos direitos sociais, culturais e políticos do povo trabalhador galego. A concentraçom será às 9h30, em frente dos tribunais da vila da Marinha.

 

Voltar à página principal