Bipartido PSOE-BNG , com passo firme na espanholizaçom

1 de Julho de 2008

Nos últimos tempos, sucedem-se as notícias alarmantes sobre a política lingüística seguida pola actual Junta da Galiza. Só nas últimas semanas, primeiro foi o subsídio em massa a publicaçons, rádios e todo o tipo de meios de comunicaçom que tenhem o espanhol como primeira e quase única língua; depois, a Coordenadora de Trabalhadores de Normalizaçom Lingüística denunciou a parálise no prometido Consórcio para a Planificaçom Lingüística, reclamando aos grupos parlamentares controlo real e efectivo das [escassas] acçons executivas da Secretaria Geral de Política Lingüística.

Agora som os planos anunciados polo presidente da Junta, Emílio Peres Tourinho, de enviar rapazes e raparigas para aprenderem inglês... em Espanha.

Assim, sob a capa do 'multilingüismo', os e as estudantes mais novas serám enviadas a acampamentos em Palência, onde a língua principal será o espanhol e a língua de aprendizagem académica o inglês.

Nada temos, entenda-se, contra a extensom do conhecimento de quantos mais idiomas melhor. Preocupa-nos, no entanto, que sempre se parta da imprescindível imersom em espanhol para aceder a qualquer conteúdo académico ou idiomático entre a populaçom galega mais nova. Será que nom seria possível realizar esses acampamentos directamente na Irlanda ou Inglaterra? Ou entom, nom passou pola cabeça dos nossos governantes promover iniciativas semelhantes em Portugal, ondem as crianças podem comprovar a utilidade do galego e a facilidade de aprenderem a variante lusa do nosso idioma?

Como já vamos cheios e cheias de aturar o discurso regionalista do BNG, a dizer que todo é responsabilidade do PSOE, e a pedir ao governo espanhol que nos queira mais, enquanto o vice-presidente se gaba do bem que falam espanhol os seus filhos, queremos apontar claramente para a cumplicidade do Bloque.

Umha cumplicidade que partiu da renúncia explícita a gerir a política lingüística no pacto de governo, em 2005; que continuou na sua participaçom em todos os organismos em que se tomam decisons em matéria de língua; e que se confirma agora, com a participaçom das deputaçons nos planos espanholizadores dirigidos a estudantes galegos e galegas, por Tourinho, Sánchez e companhia. Ou será que as da Corunha e Lugo, onde o BNG detém, entre outros postos, as vice-presidências, nom irám participar no envio de estuantes a acampamentos palentinos?

 

Voltar à página principal