11 vizinhos e vizinhas de Trasancos citados para declarar por danos ao autocarro de 'Galicia Bilingüe'

23 de Junho de 2008

A repressom por razom de língua continua avante, em conseqüência das provocaçons dos sectores ultra aglutinados em torno da associaçom 'Galicia Bilingüe'. Nos últimos meses, tenhem-se sucedido actuaçons policiais e judiciais contra galegos e galegas que, em diferentes pontos do País, protestárom contra a presença do autocarro propagandístico dos anti-galego. Agora é a vez de 11 vizinhos e vizinhas de Trasancos, denunciados por "danos".

Tal como informamos no seu dia, a presença do autocarro dos ultras pró-espanhol organizados em 'Galicia Bilíngüe' foi contestada nas cidades e vilas onde agitou em contra do galego. No caso de Narom, vizinhos e vizinhas da comarca manifestárom a sua oposiçom à presença de 'Galicia Bilíngüe', o que deu lugar à identificaçom de 11 pessoas, que agora acabárom de receber citaçons judiciais em que som informados e informadas da acusaçom de 'danos' ao autocarro.

As onze vizinhas e vizinhos som citados ao longo do próximo mês de Julho em relaçom a umhas pintagens que aparecêrom no autocarro, defendendo o uso do galego contra as pretensons lingüicidas dos pró-espanhol. A denúncia parte da iniciativa directa da polícia espanhola, cuja agressiva presença no lugar deu cobertura à iniciativa de 'Galicia Bilingüe' e pretendeu intimidar a vizinhança que se opunha à sua presença.

Na denúncia, a polícia declara que as pessoas concentradas proclamárom palavras de ordem tam 'delictivas' como "Gostedes ou nom, Galiza é umha naçom", ou "Na Galiza, em galego', durante todo o tempo que durou o acto propagandístico dos ultras.

Consultadas por este portal, as pessoas denunciadas confirmam o assédio policial naquele dia do mês de Fevereiro, tanto através de veículos, como de elementos fardados e outros da chamada 'brigada de informaçom', vestidos à paisana.

 

Voltar à página principal