A Associaçom para a Recuperaçom da Memória Histórica da Galiza anuncia campanha pola retirada da simbologia franquista

8 de Março de 2004

A secçom galega da Associaçom para a Recuperaçom da Memória Histórica anunciou umha campanha pola retirada da simbologia franquista nas ruas da Galiza. A Campanha chamará-se "Para que remate esta vergonha. Fora a simbologia franquista das nossas ruas", e decorrerá durante os meses de Março, Abril e Maio em diversas comarcas do nosso país, incluída a do Berço.

Entre as iniciativas incluídas na citada campanha, inclui-se a apresentaçom de propostas no Parlamento autónomo galego e em diversas cámaras municipais para a retirada de símbolos franquistas, acompanhadas de assinaturas de apoio que esperam contem com a adesom de organizaçons sociais, sindicais e políticas.

Em Compostela, no dia 14 de Abril, haverá um acto reivindicativo ante o monumento franquista da praça da Quintá, reclamando a sua retirada. Na Corunha, dous dias depois, pedirá-se ao Comité de empresa do Hospital Juan Canalejo que adira ao pedido de mudança de nome do Hospital. Também haverá um acto reivindicativo numha rua significativa, que sirva para reivindicar a limpeza de nomes e símbolos franquistas da cidade herculina. Já no dia 23 de Abril, um acto semelhante decorrerá em Lugo, e no dia seguinte em Ourense, ficando para o dia 30 de Abril o acto previsto em Vigo ou Ponte Vedra.

Já no mês de Maio, o dia 8 será o acto previsto em Ferrol que, como nas restantes cidades, prevê umha apresentaçom da campanha na Galeria Sargadelos. Contodo, a maior novidade desta campanha está na inclusom do Berço entre as comarcas galegas cobertas polos actos da ARMH. Será no dia 15 de Maio, sábado, quando se realize o acto de encerramento da campanha numha comarca especialmente castigada pola repressom franquista e hoje excluída do reconhecimento oficial da sua galeguidade.

Saudando esta iniciativa, é preciso lembrarmos o trabalho que nos últimos anos veu realizando a esquerda independentista galega contra a presença de símbolos franquistas em espaços públicos da Galiza. Manifestaçons, iniciativas municipais, concentraçons e actos surpresa para chamar a atençom da sociedade perante a persistência das homenagens institucionais ao fascismo, dérom continuidade já desde fins do século passado a um labor tam necessário como desprezado polas forças políticas e sindicais do sistema, incluídas as supostamente de esquerdas e nacionalistas galegas, que só respondêrom positivamente ante a pressom das acçons independentistas e das plataformas populares criadas em comarcas como a do Condado.

Contodo, importantes frutos tenhem sido conseguidos neste tempo por um trabalho constante que, graças à adesom e simpatia de diversos sectores sociais, realizou acçons espectaculares como a pintagem com tinta rosa de dezenas de estátuas, placas, cruzes, escudos e outros símbolos franquistas em cidades e vilas como Ferrol, Narom, Neda, Corunha, Ourense, Vigo, Compostela, Ponte Areas, etc. e que possibilitou a retirada do monumento a Franco em Ponte Areas e o traslado da estátua eqüestre dedicada a Franco em Ferrol; ou que por via de factos consumados impujo a retirada de placas com nomes de ruas dedicados a franquistas em Ponte Areas, a destruiçom das mesmas em Ourense, o derrubamento de umha estátua a Franco em Narom e, principalmente, tem contribuído de maneira importante para a manutençom da memória e a reivindicaçom de medidas elementares de limpeza democrática de que agora se fai eco a Associaçom para a Recuperaçom da Memória Histórica da Galiza.

É de esperar que o trabalho independentista nos últimos anos seja tido em conta pola citada entidade na sua acertada iniciativa. Lembremos que militantes independentistas tenhem sido multados ou estám ainda a espera de resoluçom judicial por terem defendido a eliminaçom desses símbolos nas ruas e edifícios públicos da nossa Pátria.


Voltar à página principal


Cabeça de Franco entregue por NÓS-UP no registo da Junta da Galiza a nome do seu legítimo proprietário: Manuel Fraga