O relatório sobre "o Estado do Mundo em 2004" confirma que o capitalismo conduz o Planeta para o colapso

10 de Janeiro de 2004

WorldWatch Institute, organismo nom governamental com sede em Washington, acabou de publicar o seu relatório "O Estado do Mundo em 2004", que afirma entre outras cousas que cumpririam mais três planetas para saciar o consumismo global que o capitalismo impom a ritmo crescente.

As despesas para a aquisiçom de bens e serviços quadriplicou-se desde 1960 até à actualidade, enquanto no mundo subsistem 3.000 milhons de pessoas com menos de dous dólares diários.

Confirma-se portanto o aumento das desigualdades e um aumento incontrolado do consumismo que conduz o planeta para o colapso social e ambiental.

Apesar das evidentes desigualdades, o conjunto do Planeta está a sofrer a queda da qualidade de vida devida à depredaçom ambiental capitalista, que avança a um ritmo insustentável. A extensom do modelo de consumo que existe nos países do centro capitalista ao conjunto do Planeta exigiria mais três planetas para permitir manter o nível de consumo existente nos estados mais ricos.


O apetite consumista, a que 1.700 milhons de pessoas aderírom durante o século passado, definido por dietas prejudiciais, sistemas de transporte anti-ecológicos e outras pautas de consumo compulsivo destruem sistemas naturais e impede que a maioria empobrecida de habitantes do Planeta podam atingir níveis básicos de desenvolvimento.

Como dado eloqüente, o relatório que comentamos afirma que a populaçom norte-americana e europeia é responsável por 60% do consumo no mundo, enquanto as populaçons do sueste asiático e África sul-saariana representam 3.2% do consumo mundial.

Nos EUA, o número de carros particulares tem ultrapassado já o número de pessoas autorizadas a conduzi-los, algo impossível de estender ao conjunto do Planeta sem provocar um colapso ambiental. Será que a populaçom estado-unidense tem mais direito a semelhante esbanjamento do que o resto da populaçom mundial?

Florestas, terras de cultivo, selvas e territórios virgens diminuem a grande velocidade em benefício de umha urbanizaçom ao serviço do consumo e o modelo socioeconómico capitalista conhecido por "globalizaçom".

O Worldwatch Institute nom passa nas suas conclusons de propor medidas reformistas gerais e inúteis para a salvaçom do Planeta e a conquista dos direitos sociais e económicos para o conjunto da populaçom mundial. Fala apenas de "responsabilidade pessoal", "reformas tributárias" e "melhoria da qualidade dos produtos", sem pôr em causa a verdadeira raiz do caos a que nos conduz a dinámica económica e social actual: o próprio sistema capitalista, cujo código genético inclui a lógica do lucro e a desigualdade como princípios inquestionáveis. Só a superaçom do sistema mundial capitalista mediante a implantaçom global do socialismo pode evitar o desastre a que o Planeta e a nossa espécie som conduzidos.


Voltar à página principal