Aumenta o desemprego na Galiza que se situa três pontos por cima da média do Estado espanhol

6 de Janeiro de 2004

No mês de Dezembro, o desemprego aumentou na Galiza em 7.465 pessoas a respeito do mês anterior, quer dizer, 4'98%, o que situa 157.337 galegos e galegas nas listas de desemprego, 12'35% da populaçom activa. Ficam fora destes dados os galegos e galegas que vivem fora das fronteiras da CAG, em comarcas administrativamente pertencentes às Astúrias e Castela e Leom.

Deste jeito, a Galiza fica mais de três pontos por cima da média do Estado espanhol, que se situa nos 9%.

Contodo, estes dados devem ser tomados como sempre com cautela, umha vez que os Governos espanhol e autonómico fam todo o tipo de batotas para maquilhar a dimensom real do problema, como riscar das listas quem trabalhar mesmo nas condiçons mais precárias e durante um tempo de duraçom simbólico.

A respeito do ano anterior (Dezembro de 2002) o desemprego aumentou na Galiza administrativa em 6.322 pessoas, 4'19%, situando-se na actualidade em 63.953 homens desempregados (incremento de 9'11% e 5.311 pessoas), e em 93.744 mulheres (incremento de 2'35% e 2.154 pessoas). Continua portanto evidenciando-se a maior incidência do desemprego entre as mulheres, como mais umha face da sua situaçom discriminatória na sociedade galega actual.

Por sectores, o maior crescimento verificou-se na construçom e a indústria, e na juventude o incremento atingiu 2'04%. Um outro dado de interesse é o que confirma que por cima de 90% das novas colocaçons tenhem carácter temporário, quer dizer, a precariedade estende-se de maneira praticamente generalizada.


Voltar à página principal