Despedimento de centenas de trabalhadoras/es das auxiliares do sector naval colapsa o INEM em Ferrol

7 de Fevereiro de 2004

Os desempregados e desempregadas da comarca de Trasancos estám a demorar mais de um mês a cobrar os subsídios por parte do INEM. Em concreto, mais de 1000 trabalhadores e trabalhadoras deixárom de cobrar o que lhes correspondia desde o passado mês de Dezembro. A instituiçom tenta justificar-se aduzindo o colapso devido à situaçom que se vive nos estaleiros da comarca, com centenas de pessoas despedidas nas companhias auxiliares do sector naval perante a falta de carga de trabalho nos estaleiros.

A situaçom nom vai solucionar-se a curto prazo e as desempregadas e desempregados inscritos em Janeiro nom começarám a cobrar até o mês de Março, segundo confirmárom os responsáveis provinciais do INEM, que escusárom semelhante agressom falando da "falta de recursos humanos" para enfrentar as centenas de despedimentos que conduzem outras tantas pessoas à sede da instituiçom.

É necessário ter em conta que estamos a falar de umha das comarcas com um maior índice de desemprego no Estado espanhol, o que torna mais injustificável o abandono por parte do organismo que Estado dedica ao atendimento dos já escassos direitos das pessoas desempregadas.

Para além do mais, este facto pom de manifesto a dimensom da crise que novamente atravessa a comarca trasanquesa, com despedimentos massivos que afundem ainda mais a situaçom de milhares de pessoas que vivem do trabalho no sector naval.

Enquanto isto acontece sem que nengum partido ou instituiçom mexa um dedo, umha mínima reacçom de ira por parte do quadro de pessoal contra os responsáveis institucionais por esta situaçom provocou nesta semana reacçons repressivas e de condena por parte de TODOS os partidos e sindicatos, com a excepçom de NÓS-Unidade Popular e a CIG.

De facto, o presidente da Cámara de Ferrol, Juan Juncal (PP) já remeteu aos julgados o vídeo com o confronto entre o tenente de alcaide e dúzias de trabalhadoras e trabalhadores no passado dia 5 de Fevereiro, pedindo ao delegado do Governo espanhol maior repressom contra as actividades operárias. O conjunto de partidos representados no concelho ferrolano (PP, IF, PSOE, BNG e IU) dérom cobertura à estratégia repressiva que agora anuncia Juncal, assinando umha declaraçom de condena contra quem reclama o direito ao trabalho.

Mais informaçom recente sobre a situaçom laboral em Trasancos:

PP, PSOE, IF, BNG e IU condenam conjuntamente a reacçom d@s operári@s de IZAR frente à provocaçom de Juan Fernández (+...)

O tenente de alcaide de Ferrol paga a sua prepotência ante trabalhadoras/es de IZAR (+...)

Voltar à página principal