Milhares de mulheres galegas reclamam nas ruas o fim da discriminaçom de género e da violência machista


9 de Março de 2004

Milhares de pessoas, principalmente mulheres, participárom nas nove concentraçons e manifestaçons convocadas para o 8 de Março na Galiza. Ferrol, Lugo, Ponte Vedra, Corunha, Vigo, Compostela, Ourense, Cee e Ponte Areas fôrom os lugares em que se desenvolvêrom actos de reivindicaçom feminista. Nos oito primeiros foi a Marcha Mundial das Mulheres que convocou, enquanto no Condado foi a Assembleia de Mulheres do Condado (AMC).

Centenas de mulheres participárom na maioria das mobilizaçons. Mais de 500 na capital galega, 60 em Lugo, 35 em Ponte Areas e várias centenas em cada umha das outras cidades, completando umha muito bem sucedida jornada de luita feminista, que no caso das mobilizaçons da Marcha das Mulheres tivo por mote "Diferentes sim, desiguais nom", e na do Condado "Equiparaçom salarial já".


A revindicaçom da igualdade de direitos laborais entre mulheres e homens foi um dos eixos das manifestaçons galegas, bem como a denúncia da violência machista que nom cessa, em forma de abusos a menores, assédio laboral, tráfego sexual de mulheres e violência no lar por parte dos homens.

O índice de desemprego feminino, duplo do dos homens, a precariedade, salários inferiores em 30% e outros dados que confirmam a gritante discriminaçom que sofrem as mulheres fôrom postos em destaque polos manifestos feministas do Dia da Mulher Trabalhadora.

A esquerda independentista galega participou nas diversas mobilizaçons convocadas, tendo também desenvolvido diversas iniciativas com motivo do 8 de Março.

Voltar à página principal