A globalizaçom militarista: após o 11-S, EUA impujo um incremento global do gasto militar no mundo

10 de Janeiro de 2004

Após o 11-S, EUA impujo um incremento global do gasto militar no mundo, estimado em 64.000 milhons de dólares, superior aos recursos destinados ao chamado Plano do Milénio contra a pobreza.

O sector económico provedor de material bélico é hegemónico na economia mundial graças à eufemisticamente chamada "guerra ao terrorismo", estratégia imposta polos EUA para dominar o conjunto do Planeta e garantir a sua hegemonia globa de vez.

Os dados nom som fornecidos por nengum organismo subversivo da ordem imperante. Som do Fundo Monetário Internacional (FMI), e confirmam que o incremento das despesas militares ultrapassam os recursos investidos das chamadas Metas de Desenvolvimento do Milénio, conjunto de compromissos assumidos polos estados que integram a ONU para reduzir à metade a pobreza no mundo, melhorando a saúde, a alimentaçom e a educaçom dos países mais pobres.

Destes jeito, inverte-se a tendência à baixa nas despesas militares iniciada nos anos 80, segundo um documento do próprio FMI, que atribui o incremento sobretodo às chamadas "economias avançadas", quer dizer, os estados do centro capitalista mundial.

Em concreto, o aumento no gasto armamentístico foi de 7% em 2000 para 7.3% em 2002, num incremento sustentado que continua.

Esse incremento fai com que a militarizaçom absorva mais recursos que os grandes objectivos da ONU para reduzir em 2015 a pobreza no mundo à metade do que era em 1990. A reduçom da fame, o aumento da escolarizaçom, a equidade de género, a descida na mortalidade infantil e de mulheres mortas no parto, a luita contra a SIDA e outros supostos objectivos da ONU ficam por baixo do objectivo rearmamentístico dos principais estados da economia mundo capitalista, chefiados polos todopoderosos EUA.

Se existe algumha dúvida sobre o objectivo do rearmamento dos grandes estados capitalistas, o próprio FMI esclarece que as maiores economias industrializadas representavam mais de 60% das despesas militares no Planeta, e depois do 11-S já representam 80% do gasto total registado no mundo nesse conceito.

Também os estados pertencentes ao antigo Pacto de Varsóvia incrementárom o seu gasto militar durante os dous últimos anos, apesar das graves carências que padecem nos principais parámetros que marcam o bem-estar social.


Voltar à página principal