Cada vez mais casos de violaçons de prisioneiras iraquianas por parte de militares ocupantes

10 de Março de 2004

O Comité de Solidariedade Com a Causa Árabe (CSCA) denunciou o progressivo aumento de casos de violaçom por parte de militares ocupantes contra mulheres presas no Iraque, além de diversas práticas vexatórias contra os prisioneiros e prisioneiras nesse país polas forças imperialistas.

No curso da ocupaçom e luita contra a resistência, estám a efectivar-se detençons em massa que violam os mais elementares direitos e dam cobertura a práticas habituais de torturas nos interrogatórios.

No caso das mulheres, cada vez som mais numerosas as denúncias por tratos vexatórios por parte de soldados ianques e guardas iraquianos, incluindo abusos sexuais e violaçons. Por vezes, as agressons sexuais fam parte das medidas de pressom para conseguir delaçons e outras informaçons sobre familiares fugidos, acusados de fazerem parte da resistência.

Contodo, os organismos que pesquisam e denunciam essas práticas afirmam que o número de denúncias é notavelmente inferior ao de casos reais, tendo em conta a situaçom da mulher e os tabus e preconceitos religiosos à sua volta.

Confirma-se, no entanto, a detecçom por fontes médicas de crescentes casos de mulheres que confessam as agressons de todo o tipo a que fôrom submetidas, que deixam repercussons físicas e psicológicas às vítimas, entre elas serem despidas e tapar-lhes a cabeça com um saco.

 

Voltar à página principal