Destruiçom da Palestina: Exército sionista derruba as casas de mais de mil palestinian@s

16 de Maio de 2004

Segundo a Organizaçom das Naçons Unidas (ONU), mais de mil pessoas ficárom na rua, após as suas casas na cidade de Rafah, na Faixa de Gaza, terem sido destruídas polo Exército de Israel só nos últimos dez dias.

Com a escusa da caça ao "terrorista", o Estado sionista continua a sua estratégia de destruiçom da Palestina, forçando o êxodo massivo da populaçom árabe e favorecendo a ocupaçom por parte de colonos da extrema direita, ponta de lança do sionismo na construçom do "Grande Israel".

Só na semana passada, 30 palestinianos fôrom assassinados em ataques israelitas, respostando a resistência com a morte de 13 soldados ocupantes.

A destruiçom das casas fai parte da estratégia israelita de afogar a Faixa de Gaza, isolando-a e reduzindo-a num autêntico segregacionismo e extermínio sistemáticos. O Muro do Apartheid contribui para esse mesmo objectivo.

A destruiçom de casas foi criticada polo secretário-geral da ONU, que reconheceu que elas contrariam a lei internacional. Porém, nengum passo foi dado polos diversos organismos internacionais, cúmplices quer pola activa, quer pola passiva, do extermínio do povo palestiniano por parte de um dos exércitos mais poderosos do planeta. 131 prédios residenciais fôrom destruídos em 10 dias, numha ofensiva sem precedentes desde o início da segunda antifada popular palestiniana.

Ao todo, 17.594 é o número oficial de palestinianos e palestinianas expulsos dos seus lares após a destruiçom dos mesmos, a maior parte na Faixa de Gaza, onde @s atingid@s som 11.215. Milhares de palestinianos som assim lançados às ruas, sem poderem nem dormir sob um teito nem acederem a serviços básicos como a água potável. A ONU reconhece o "desastre humanitário" em curso, mas continuam sem ser tomadas medidas para parar os pés ao sionismo, que conta com o incondicional apoio do imperialismo norte-americano.

 

Voltar à página principal