Um colaborador da CIA será o primeiro-ministro do Iraque colonial

30 de Maio de 2004

O xiita Iyad Allawi, colaborador da CIA (serviços secretos norte-americanos), passou durante anos informaçons a esse organismo para derrubar o regime de Saddam Hussein. Agora, a Casa Branca vai situá-lo como primeiro-ministro do governo interino do Iraque.

Formalmente, a eleiçom correspondeu ao Conselho de Governo, verdadeiro organismo fantoche às ordens da ditadura militar ianque no Iraque. A escolha foi já "ratificada" pola ONU e por autoridades norte-americanas.

Formado como médico na Gram Bretanha, Allawi é um grande empresário, exilado do Iraque já em 1990, formando o Acordo Nacional Iraquiano, um partido sustentado pola CIA e pola inteligência británica, formado por dissidentes baathistas.

O enviado da ONU ao Iraque, Lakhdar Brahimi, "respeita" a escolha de Allawi para primeiro-ministro do governo interino que assume em 30 de junho, dixérom ontem representantes das Naçons Unidas, apesar de terem reconhecido que o processo de formaçom do governo nom está a ser conduzido do modo desejado pola ONU. Porém, a ONU reconheceu à administraçom da ocupaçom, a Autoridade Provisória da Coaliçom, autoridade para nomear o primeiro-ministro que lhe dita o Pentágono.

Entretanto, nas ruas do Iraque a resistência à ocupaçom continua activa.
Ontem, cinco iraquianos morrêrom e 14 ficárom feridos em confrontos entre soldados norte-americanos e rebeldes xiitas próximo à cidade sagrada de Najaf, um dia depois de o clérigo Moqtada al-Sadr ter proposto umha trégua para encerrar dous meses de luita. Dois soldados norte-americanos ficárom feridos.

Em Bagdad, dous jornalistas japoneses morrêrom num ataque ao seu carro, de acordo com informaçons dos médicos que examinaram os corpos incinerados. Em outro episódio, um importante político iraquiano escapou de um ataque na mesma área.

Por outro lado, mais de 600 presos iraquianos fôrom libertados da prisom de Abu Ghraib, totalizando mais de mil as pessoas soltas nas últimas três semanas dentro da campanha de lavagem de cara da Administraçom ocupante, após as provas de brutais torturas nessa prisom. Soldados americanos fôrom atacados quando escoltavam os autocarros que levárom os prisioneiros para outros locais.


Voltar à página principal

 

 

O próximo primeiro-ministro do Iraque colonial é um empresário milionário, dissidente do regime de Saddam e colaborador da CIA