O Governo espanhol retirará finalmente as tropas ocupantes do Iraque

18 de Abril de 2004

O Governo espanhol decidiu a retirada de território iraquiano dos 1300 efectivos que fam parte das forças ocupantes desse país. Os espanhóis tivérom 11 baixas mortais desde que se integrárom no contingente imperialista que mantém a ditadura militar estrangeira no Iraque. Sem termos dados concretos das baixas que podam ter causado entre o povo iraquiano, sabe-se que em diversas ocasions chegárom a disparar contra a populaçom civil manifestante, como aconteceu recentemente em Diwanija.

O comando espanhol tinha reconhecido que, durante os últimos dias, a chamada "Base Espanha" nessa cidade era atacada todas as noites com fogo de morteiro pola resistência. De facto, nom há que esquecer a importáncia fundamental do avanço da resistência patriótica iraquiana, quer a nível guerrilheiro, quer a nível de mobilizaçom de massas, para determinar a falta de perspectivas da estratégia imperialista, e a conseguinte retirada "a tempo" das tropas espanholas, que tivérom a sua última baixa mortal na passada sexta-feira em Najaf.

Aliás, o Governo do PSOE cumpre um compromisso eleitoral e com a maioria social do Estado espanhol que, durante os últimos meses, se moblizou reiteradamente nas ruas contra a presença espanhola no Iraque. Sendo a retirada espanhola umha boa notícia, nom deve esquecer-se que as tropas imperialistas espanholas estám presentes também no Afeganistám, onde o novo Governo prevê mesmo aumentar o número de efectivos que combatem as guerrilhas afegás.

 

Voltar à página principal