Fim de semana negro para as costas galegas

5 de Abril de 2004

Continua a chegar fuel às nossas costas, enquanto técnicos do Ministério espanhol do Fomento denunciam que se estám a destruir nas últimas semanas documentos sobre a catástrofe do Prestige.

A seguir, reproduzimos a nota de imprensa enviada polas organizaçons ecologistas FEG, CEMMA ADEGA e CES, referida à chegada às nossas costas de numerosas manchas de fuel e animais petroleados. As autoridades, segundo estas organizaçons, nom pudérom precisar a origem do fuel, embora intuam que pudo ser a raiz dumha limpeza de tanques ilegal. As organizaçons ecologistas solicitam que se informe o antes possível sobre a procedência do fuel, esclarecendo se este procede dumha limpeça dos porons ou se fai parte das 20.000 toneladas procedentes do Prestige que ainda andamà deriva, e lembram que estes factos se produzem dias depois de serem declaradas as costas galegas pola OMI (Organizaçom Marítima Internacional) Área Marítima de Especial Sensibilidade (AMES). Este facto vem demonstrar novamente a falta de meios na prevençom da contaminaçom marinha nas nossas costas.

Esta notícia conhece-se no mesmo fim de semana em que soubemos, por meio de informaçons facilitadas pola "Cadena Ser", que o Ministério do Fomento ordenou nas últimas semanas a destruiçom de relatórios internos sobre a catástrofe do Prestige, segundo denunciárom a essa emissora espanhola de rádio diveros técnicos do citado Ministério.

No dia 3 de Abril, a Cadena Ser informava, numha notícia que ainda pode ser consultada no seu web que se trata de informes elaborados após a catástrofe por técnicos do Centro de Estudos e Experimentaçom de Obras Públicas, organismo de investigaçom que depende dos Ministérios do Fomento e Meio Ambiente, entre os quais há avaliaçons do impacto do fuel nas praias da nossa naçom ou estudos sobre a qualidade das águas marinhas após o vertido, assim como trabalhos realizados sobre a viabilidade como porto refúgio do futuro porto exterior da Corunha.

Os próprios técnicos denunciaram há meses, que, a sequir da filtraçom de vários destes documentos a diversos meios de comunicaçom, foram requisados todos os rascunhos e apontamentos que serviram de base para a elaboraçom destes relatórios, e que os trabalhos definitivos, que até entom podia consultar qualquer funcionário nas bibliotecas de Fomento, fôrom descatalogados.

Agora, teria-se ordenado a destruiçom de toda cópia existente, coincindo, acrescentam os funcionários do Ministério denunciantes, com o facto de as bibliotecas de Fomento terem fechado as suas portas recentemente, alegando problemas de pessoal. Por sua vez, o Ministério negou estes factos.

Nota de imprensa (4-4-04) da Federación Ecoloxista Galega, a CEMMA, ADEGA, e o Colectivo Ecologista do Salnês

A Federaçom Ecologista Galega, a CEMMA, ADEGA, e o Colectivo Ecologista do Salnês estam a constatar a entrada massiva de manchas de fuel e animais petroleados em boa parte da fachada ocidental atlántica da costa galega.

Umha importante quantidade de chapapote está a chegar a modo de milhares de pequenas bolachas, as maiores de tamanho tipo pizza, na faixa compreendida entre a Lançada e Carnota. Ao longo de todo o Domingo, estas organizaçons estám a manter um dispositivo de vigiláncia que recorda o estabelecido durante o acidente do Prestige.

Desde a primeira hora da tarde de Sábado, está-se a observar umha importante entrada de fuel. As primeiras observaçons nos areais de Carnota, Larinho, e no Concelho de Muros na praia de Louro. Posteriormente, constatou-se a entrada de fuel também em importantes quantidades em Corrubedo e na ria de Muros-Noia (praia do Castro de Baronha).

Igualmente, na praia de Patos (em Pantom, perto de praia América) fôrom recolhidas numerosas aves petroleadas (a maioria mortas) na tarde de ontem. Hoje de manhá (Domingo) recolhia-se novamente um exemplar de arau morto.

Durante o Domingo, observárom-se novas entradas de fuel nas áreas anteriormente citadas, além de observar-se umha importante chegada também na praia da Lançada, onde a primeira hora da manhá se recolhiam 15 aves petroleadas (principalmente tordas mergulheiras mortas).

No Parque Nacional das Ilhas Atlánticas, chegou fuel à Ilha de Salvora, e nas Cies recolhêrom-se sete aves petroleadas.

No Parque Natural de Corrubedo, recolhêrom-se nas primeiras horas de Domingo várias aves petroleadas, principalmente álcidos (tordas mergulheiras, araus e papagaios-do-mar). Também aparecêrom numerosas aves petroleadas em Carnota, a Lançada, a praia de Patos (Nigrám) e nas Ilhas Cies.

Má época para a fauna marinha

Esta entrada de fuel está a ter importáncia sobre as aves ao coincidir com a migraçom que fam estas desde o Sul às zonas de cria do Atlántico Norte.

As aves mais atingidas estám a ser os álcidos, salientando as tordas mergulheiras, araus e papagaios-do-mar.

Desde a CEMMA, estám a expressar a sua preocupaçom pola possível afectaçom sobre os cetáceos e sobre as tartarugas que também estám de passagem nestes dias frente as nossas costas. Este alerta saltou com a ocorrência dumha foca petroleada nesta semana.

As autoridades nom pudérom precisar a origem do fuel, ainda que intuam que pudo ser a raiz dumha limpeza ilegal de tanques. Neste senso, observamos que desde a meia tarde de ontem (Sábado), procedeu-se a umha adequada e rápida intervençom na recolha do chapapote por parte das quadrilhas de descontaminaçom dependentes do Comissionado do Ambiente. Segundo pudemos saber deste organismo, um helicóptero do SASEMAR realizou hoje de manhá vários voos de reconhecimento entre as Rias Baixas e Carnota.

Lamentamos esta situaçom dias depois de ser declarada as costas galegas pola OMI (Organizaçom Marítima Internacional) Área Marítima de Especial sensibilidade (AMES).

Este facto vem demonstrar novamente a falta de meios na prevençom da contaminaçom marinha nas nossas costas, o que supom outro importante revés para o estado das nossas costas e biodiversidade, 500 dias depois do acidente do Prestige e quando ainda os seus efeitos continuam a manifestar-se em muitos pontos do litoral galego.

Solicitamos que se informe o antes possível sobre a procedência do fuel, e se este proceder dum "sentinazo" ou se fai parte das 20.000 toneladas procedentes do Prestige que andam à deriva.

Em Compostela, a 4 de Abril de 2004.

 

Voltar à página principal