Terrorismo sionista assassina novo líder de Hamas

17 de Abril de 2004

O novo líder da principal organizaçom islamista da resistência palestiniana, Hamas, foi assassinado com o lançamento de mísseis de um helicóptero de fabrico ianque contra o seu carro na Cidade de Gaza. Abdel-Aziz Rantissi era cofundador do Movimento de Resistência Islámica Hamas, criado em 1987.

Além de Rantissi, polo menos dous dos seus seguranças também morrêrom no ataque. Segundo a Agência Reuters, um quarto palestiniano teria morrido no ataque.

Centenas de simpatizantes de Hamas lotárom o hospital da Cidade de Gaza após o atentado israelita, igual que o local em que aconteceu o ataque aéreo sionista.

Lembremos que, ainda no mês passado, Israel matou o anterior líder de Hamas e também cofundador do Movimento, xeque Ahmed Yassin, afirmando os dirigentes do Estado terrorista israelita atacar todos os líderes dos grupos resistentes palestinianos. Anteriormente, o secretário geral da marxista Frente Popular para a Libertaçom da Palestina (FPLP) foi também assassinado polo exército sionista, respostando posteriormente a organizaçom resistente com a execuçom do ministro do Turismo, representante da ala mais ultra da extrema direita israelita.

A chamada comunidade internacional está a dar cobertura à estratégia sionista de eliminar extrajudicialmente as cabeças da resistência palestiniana, ficando cada vez mais em evidência a tentativa sionista de expulsar a populaçom palestiniana e acometer a fase final da construçom do "Grande Israel" teorizado na teoria fascista conhecida como Sionismo, inspiradora da criaçom e estratégia do Estado fundamentalista religioso israelita. Poucos dias atrás, o próprio presidente ianque abençoou a usurpaçom dos territórios ocupados por parte do fascismo sionista e a sua política de extermínio contra a resistência palestiniana, que denominam hipocritamente "terrorismo".

Voltar à página principal