PSOE, PP e Supremo Tribunal espanhol proíbem votar a dezenas de milhares de basc@s

22 de Maio de 2004

Afinal, confirmou-se a proibiçom de participarem nas eleiçons a muitos milhares de bascos e bascas que, após terem cumprido os estritos requisitos legais impostos polo Estado espanhol, vem como PSOE, PP e o Supremo Tribunal anulam a candidatura independentista apresentada sob as siglas HZ.

A pulsom política da medida dá nas vistas, tendo sido denunciada por diversos partidos políticos e organizaçons diversas. Trata-se de umha iniciativa ao mais puro estilo "Partido Popular", efectivada polo chamado "Governo de progresso e de mudança". O PSOE mostra com clareza a sua substancial coincidência com o PP no atropelo dos direitos civis mais básicos na cruzada espanholista contra o independentismo basco.

Também no plano jurídico, a actuaçom é injustificável, umha vez que se aplica a Lei de partidos de maneira retroactiva, sobre cidadaos que alegadamente participaram em actividades políticas em HB, antes de a tal Lei ter entrado em vigor.

Porém, a maior gravidade acha-se na vulneraçom do direito a ser eleit@s e a eleger, bem como ao livre pensamento e à actividade política de milhares de bascos e bascas.

No nosso país, NÓS-Unidade Popular, organizaçom unitária da esquerda independentista em que se enquadra a militáncia do nosso Partido, foi a única organizaçom política que fijo pública a sua solidariedade com Herritarren Zerrenda, rejeitando a impugnaçom à sua candidatura por parte dos citados agentes institucionais do Estado espanhol.

Lembremos que, tal como HZ no País Basco, também NÓS-UP apresentou a sua candidatura independentista galega a partir da recolha massiva de assinaturas. Se finalmente se confirmar a antidemocrática anulaçom da candidatura basca, a galega de NÓS-UP e a catalá das CUP podem acabar por ser as únicas candidaturas independentistas e de esquerdas que podam participar no Estado espanhol nas Eleiçons europeias do 13 de Junho.


Voltar à página principal