O presidente do Governo fantoche iraquiano, morto em ataque da resistência patriótica

17 de Maio de 2004

Nesta mesma manhá, o presidente do Conselho de Governo provisório nomeado polas autoridades norte-americanas no Iraque, Ezedín Salim, foi morto num ataque à bomba da guerrilha patriótica. Um carro armadilhado explodiu à entrada do complexo residencial que acolhe as instalaçons administrativas do Governo fantoche pró-ianque em Bagdad, atingindo o presidente do máximo organismo colonial, só por baixo do administrador estado-unidense, Paul Bremmer.

O presidente do Governo colonial, formado por 25 membros, pertencia ao chamado Movimento Islámico Al Dawa, ligado às forças de ocupaçom, tendo sido o próprio Salim nomeado e o resto do Governo polo Pentágono como máscara de rosto iraquiano, na tentativa de ligitimar a ditadura militar imposta polo imperialismo anglo-norte-americano no país.

Além do chefe do executivo colonial, na acçom morrêrom mais sete pessoas, incluídos vários soldados ianques. Estamos ante um novo êxito militar das forças guerrilhas na sua luita pola libertaçom do Iraque.

Ao longo do país árabe, os confrontos generalizam-se, com numerosas mortes dia após dia. Entretanto, o presidente norte-americano confirmou a sua intençom de manter ocupado o Iraque após a farsa da chamada "transferência de poder" no mês de Junho.


Voltar à página principal