Nova sentença condenatória contra os movimentos sociais na Galiza

20 de Outubro de 2004

Sete dos dez membros da Plataforma em Defesa da Ria de Arousa fôrom condenados por se terem concentrado no interior da sede municipal de Vila Garcia de Arouça em Janeiro de 2000.

Conforme informamos no seu dia, o julgado número 1 de Ponte Vedra acusou @s ambientalistas de "resistência à autoridade". Agora, três ficárom absolvidos, enquanto os restantes recebêrom umha condena de oito meses de prisom que nom deverám cumprir na cadeia. O motivo é terem desobedecido a ordem de despejo da polícia, que seguia instruçons do presidente da Cámara.

Numha nova mostra do funcionamento "democrático" das instituiçons espanholas no nosso país, a vizinhança que se mobiliza em defesa da qualidade de vida e contra as ameaças ao ambiente é represaliada judicialmente. Lembremos que a ocupaçom da Cámara de Vila Garcia fazia parte da campanha pola retirada dos depósitos de Hidrocarburos na Ria de Arouça.

Os direitos e liberdades fundamentais som mais umha vez espezinhados, dentro de umha sucessom de sentenças condenatórias similares em relaçom com mobilizaçons operárias, ambientalistas, independentistas ou de qualquer género que o poder capitalista e espanhol julga "atentatórias" contra a sua injusta ordem social.

 

Voltar à página principal