Bases Democráticas Galegas fam públicas as entidades que apoiam a manifestaçom pola autodeterminaçom do 25 de Julho

As Bases Democráticas Galegas figérom pública a lista de entidades políticas, sindicais, culturais e sociais que expressárom o seu apoio à manifestaçom unitária deste Dia da Pátria em Compostela. Se inicialmente fôrom NÓS-Unidade Popular, FPG, CUT e PCPG quem dérom o seu apoio à iniciativa autodeterminista, progressivamente tenhem aderido também organizaçons como a estudantil AGIR, as juvenis Adiante-MIR e AMI, as culturais Redes Escarlata e A Revolta, a ambientalista ERVA-Ecologistas em Acçom de Compostela, e a feminista Assembleia de Mulheres do Condado.

Bráulio Amaro, em representaçom das BDG, afirmou que a convocatória tem como objectivo fundamental resgatar o vigor de princípios como os que falam de autodeterminaçom e democracia, de defesa da língua e de um quadro galego de relaçons laborais. As Bases Democráticas Galegas, que nom nascem contra ninguém, configuram umha iniciativa, nom partidária nem sectária, de pessoas, mulheres e homens, que promovem a recuperaçom de elementos decisivos para rearticular um projecto de resistência, e ao tempo de proposta activa, frente à ordem existente.

As bases Democráticas Galegas manifestárom, segundo esclareceu o seu porta-voz, o seu desejo de confluir numha única manifestaçom no 25 de Julho, e que esta estivesse nucleada em torno da defesa do direito de autodeterminaçom para a Galiza; infelizmente, afirmou Bráulio Amaro, nom foi possível levar adiante esta convocatória única pola ausência de parte dos autoconvocados. Apesar deste obstáculo, acordou-se seguir avante e realizar como Bases Democráticas Galegas a convocatória dumha manifestaçom nacional no Día da Pátria ás 13 horas na Alameda de Compostela. Esta manifestaçom está nucleada pola reivindicaçom do direito à Autodeterminaçom da Galiza e conta com as adesons já citadas.

 

Voltar à página principal