Constituída em Ferrol Briga, a nova entidade juvenil da esquerda independentista galega

19 de Outubro de 2004

No passado dia 16 de Outubro, culminou em Ferrol o processo de constituiçom da nova organizaçom juvenil da esquerda independentista, finalmente batizada com o nome de BRIGA. O Congresso Nacional Constituinte decorreu no local social da Fundaçom Artábria e contou com a participaçom de meia centena de jovens de diversos pontos da Galiza.
Segundo fontes da nova entidade, o nome da organizaçom pretende simbolizar os anseios de luita do conjunto de moços e moças que a conformam. Os eixos político-ideológicos que alicerçam BRIGA som a independência nacional, o socialismo, o anti-patriarcado, o anti-impeiralismo e internacionalismo, o reintegracionismo lingüístico e monolingüismo social, o ecologismo e a liberdade sexual. Diversas resoluçons fôrom aprovadas pol@s jovens reunid@s em Ferrol no sábado passado, salientando a inequívoca consideraçom de NÓS-UP como organizaçom política referencial, bem como a intençom de se integrar na recentemente criada Coordenadora de entidades do MLNG.


Os intensos debates desenvolvidos nesta primeira cita congressual da nova organizaçom juvenil independentista semelham garantir umha grande vitalidade e vontade de trabalho por parte de umha nova geraçom de militantes da esquerda independentista galega. De resto, BRIGA nom evitará no seu discurso reconhecer a fraqueza e anomalia actual do movimento juvenil independentista, dividido em várias entidades. Neste terreno, a nova organizaçom aposta por trabalhar em direcçom à unidade na luita da juventude independentista e socialista galega.

Ao acto acudiu meio centenar de jovens e desenvolveu-se ao longo de toda a manhá e boa parte da tarde sendo clausurado este com o canto do hino galego e da internacional, hinos da organizaçom.


BRIGA assume o compromisso de aplicar novos rumos ao trabalho juvenil independentista, dando prioridade àqueles problemas percebidos como mais importantes pola maioria da juventude galega. A partir daí, BRIGA tentará introduzir questons fundamentais mas muito mais complexas, tais como a exploraçom de classe, a opressom machista, a espanholizaçom ou a reduçom das liberdades formais e a militarizaçom social.

Com esse fim, BRIGA decidiu dotar-se de um programa táctico rumado a ganhar esses sectores da mocidade galega menos conscientizados. Além do mais, a nova entidade insiste na necessidade de mais auto-organizaçom e do fomento de um tecido associativo juvenil, avaliado como imprescindível para o desenvolvimento projecto revolucionário que a esquerda independentista galega quer encarnar.


À espera da próxima inauguraçom do portal de BRIGA, que com certeza oferecerá maiores informaçons sobre a nova entidade do MLNG, Primeira Linha em Rede adianta algumhas imagens do Congresso Nacional Constituinte do passado sábado em Ferrol.

 

Voltar à página principal