35 crianças mortas no Iraque ao serem usadas por militares ianques como escudos humanos

1 de Outubro de 2004

Dentro das quotidianas contagens de vítimas mortais derivadas da ocupaçom militar do Iraque por diversos exércitos liderados polo estado-unidense, ontem fôrom mais de 46 as pessoas mortas. Algo habitual se nom fosse porque 35 delas eram crianças do bairro operário de al-Amel, na capital do país.

Nessa zona, decorria um acto institucional que foi objecto de um ataque à bomba da resistência. Sabendo que podiam ser alvo de ataques guerrilheiros, miltares ianques decidírom atrair para o lugar um grande número de crianças que andavam a brincar em ruas adjacentes, oferecendo-lhes doces e festa.

O meninho Abdel Rahman Daud, de doze anos, confirmou que soldados norte-americanos chamárom numerosas crianças, que acudírom ao local quando se produziu a potente explosom, atingindo de cheio um carro de combate ianque e matando e mutilando dúzias de meninhos e meninhas iraquianas.

O pai de Mohamed Akhbar Yunis, de nove anos, que perdeu o braço direito e tivo ferimentos graves no peito, afirmou, entre prantos: "Meu filho está muito ferido, você pode ver isso. Eu nom sei o que vai acontecer, está nas maos de Alá. Eu odeio as pessoas que figérom isso. E também odeio os norte-americanos. Eles vinhérom até o nosso bairro e trouxérom isso com eles. Eles devem saber que som eles os alvos, e as pessoas que os rodeiam também se tornam alvos! entom porque tinham a necessidade de atrair as crianças para perto deles com doces? E porque as autoridades convidárom os norte-americanos para a inauguraçom?".

A irresponsável atitude dos soldados invasores de atrair centenas de crianças para perto de si conduziu a umha nova tragédia humana. Desde o início da invasom, essa tragédia é a que envolveu o maior número de crianças mortas no Iraque, num só dia.

O Hospital Yarmuk recebeu 42 corpos, 35 de crianças. O hospital também tratou 131 feridos, sendo que 72 deles eram crianças abaixo de 14 anos. O ataque deixou umha cratera na rua e destruiu vários carros e um autocarro. Dez soldados das forças de invasom ianques ficárom feridos, dous deles gravemente. O Ministério da Saúde iraquiano confirmou 41 mortos e 139 feridos, a maioria crianças.

Hoje mesmo, a barbárie continuou. A área de Samarra, 100 km a Norte de Bagdad, foi atacada por terra e ar polo exército ocupante norte-americano, fazendo umha centena de mortes. O comando ianque di que se trata de insurgentes, mas as fontes hospitalares já confirmárom que entre os cadáveres há crianças e idos@s.

 

Voltar à página principal