Capitalismo é miséria: 52% da populaçom mundial sobrevive com menos de 2 dólares por dia

6 de Junho de 2004

Som dados de um relatório divulgado polo Banco Mundial, um dos principais esteios institucionais e financeiros do capitalismo mundial, em Abril deste mesmo ano, que apresentam os números da pobreza e indigência em nível mundial. Sem dúvida, estám maquilhados e a realidade é muito mais crua, mas servem para confirmarmos o rumo ao caos a que o capitalismo conduz o nosso planeta se nom conseguirmos quebrar a espinha do sistema e retomar a construçom do Socialismo.

O documento intitula-se "Indicadores de Desenvolvimento Mundial 2004", e mostra que a percentagem de pessoas que vivem na indigência (o parámetro usado pola instituiçom é considerar como indigentes as pessoas que sobrevivem com menos de 1 dólar por dia) é de 21% da populaçom mundial, o que representa 1,1 bilhom de pessoas.

Outro dado eloqüente do estado actual do mundo é que mais de metade da populaçom mundial (52%) sobrevive com menos de 2 dólares por dia (renda considerada como limite da pobreza pola instituiçom que elaborou o estudo), o que representa 2,73 bilhons de pessoas.

Frente aos discursos políticos e institucionais que costumam vincar que o capitalismo é o único sistema possível e ainda o mais desejável, estes dados constituem provas irrevogáveis da total incapacidade do sistema de produçom capitalista em garantir umha sobrevivência minimamente digna para o conjunto ou mesmo para a maioria da humanidade. Enquanto os lucros dos bancos e oligarcas aumentam de ano para ano, mais de metade das pessoas do mundo sobrevivem com menos de 2 dólares por dia.

A estes dados sócio-económicos haveria que acrescentar problemas como o desastre ecológico que está a conduzir o planeta para o colapso ambiental, ou o crescente número de guerras promovidas polas grandes potências para o saque de matérias primas e recursos energéticos de países como o Iraque, o Afeganistám ou a Chechénia.

Apesar das ilusons dos diversos reformismos, nom estamos ante um simples problema de distribuiçom da renda, mas da falência total da organizaçom social do modo de produçom capitalista. Só a derrocada desse sistema e o avanço das posiçons revolucionárias no mundo poderám impor umha mudança de rumo cada dia mais necessário para garantir a sobrevivência do planeta e a vida digna das pessoas.

 

Voltar à página principal