Empresários e Partido Popular apoiam campanha de CCOO em defesa da actividade delictiva do Grupo ENCE

17 de Agosto de 2004

O sindicato espanhol CCOO iniciou umha campanha em defesa de ENCE, empresa papeleira já condenada por delito ecológico devido a umha actividade que tem degradado extremamente a Ria de Ponte Vedra nas últimas décadas. Lembremos que ENCE incumpre flagrantemente a Lei de Costas, derrama compostos altamente poluentes e expulsa fumos fedorentos, além de estar ao serviço de um modelo florestal letal para o equilíbrio ecológico e o aproveitamento racional do monte galego.

Frente à grande maioria do tecido social e político da comarca, que exige a clausura do complexo industrial, CCOO encontrou já o apoio patronal à sua campanha pedindo o alargamento da actividade de ENCE. Antonio Fontenla, presidente da principal associaçom patronal da Galiza (Confederaçom de Empresários da Galiza, CEG) afirmou publicamente umha total sintonia na análise da situaçom sócio-económica da comarca de Ponte Vedra e sobre o papel protagonista que empresários e CCOO reservam à poluente indústria do Grupo ENCE.

Além do apoio empresarial, CCOO conta também com o apoio do Partido Popular, cuja deputada no congresso espanhol Ana Pastor apresentará umha iniciativa parlamentar acorde com a campanha iniciada polo citado sindicato.

O secretário de Organizaçom de CCOO, José Luis García Pedrosa, afirmou que «Nom nos importamos com que digam que estamos vendidos ao PP ou a ENCE», o que semelha umha evidência por mais que falem de «brigar para que se crie emprego e brigar depois para conseguir as melhores condiçons desse emprego». Polos vistos, CCOO acredita que é com campanhas conjuntas com PP e Patronato que se melhoram as condiçons do emprego na Galiza, por mais que o modelo industrial que defende esteja a supor a liquidaçom de inúmeros postos de trabalho no mar e a destruiçom ambiental e económica da Ria de Ponte Vedra.

Entretanto, a oposiçom popular a ENCE, liderada pola Associaçom pola Defesa da Ria de Ponte Vedra, continua a ganhar apoios, apesar das contradiçons que continuam a enfrentar outras centrais sindicais e partidos políticos com representaçom institucional na comarca.

 

Voltar à página principal

 

 

Vista de umha das manifestaçons que periodicamente enchem as ruas de Ponte Vedra reclamando o fim da actividade delictiva do Grupo ENCE
Antonio Fontenla, presidente da CEG, concorda plenamente com a campanha promovida por CCOO em Ponte Vedra