O PSOE, empenhado em reduzir os estaleiros galegos a indústria militar

28 de Julho de 2004

O Governo espanhol manifestou o seu empenhamento em limitar a indústria naval galega ao sector bélico, através do presidente da SEPI (Sociedade Estatal de Participaçons Industriais), Enrique Martínez Robles. Este representante governamental prognosticou a clausura em quatro ou cinco meses do grupo público de estaleiros se nom se efectivar a separaçom entre construçom militar e civil, primando a primeira.

O Governo do PSOE quer reduzir a construçom naval civil galega a "actividade auxiliar", apostando pola indústria armamentística naval como alternativa à crise provocada pola própria Administraçom espanhola já na década de oitenta, com o próprio PSOE a gerir a grane reconversom industrial com que castigou na altura o maior complexo industrial galego. Posteriormente seria o PP em 2000 quem fusionasse as antigas Bazán e Astano (militar e civil respectivamente), como limiar da actual agressom.

Agora o PSOE pretende dirigir a fase final de aniquilamento da construçom naval civil galega, umha das maiores e melhor preparadas do mundo até os sucessivos governos de Espanha decidirem e aplicarem sucessivas reconversons que destruírom já milhares de empregos.

Nom pode deixar de ser denunciada a atitude cúmplice das principais organizaçons sindicais, nomeadamente as espanholas UGT e CCOO, que ainda há poucas semanas rejeitavam participar na jornada de luita convocada em Ferrol por diversas organizaçons sindicais e políticas nacionalistas galegas, entre elas NÓS-Unidade Popular.

Flexibilidade, concentraçom, reduçom de emprego e capacidade... os representantes do PSOE estám já a espalhar palavras de ordem que lembram ofensivas anteriores e que desta vez podem conduzir à privatizaçom e liquidaçom de um sector estratégico para a economia galega.

Só umha resposta contundente dos trabalhadores e trabalhadoras, à altura da agressom em curso, poderá impedir que no próximo mês de Setembro o Governo espanhol inicie o desmantelamento final da indústria naval galega.


Voltar à página principal