Mais de 40% do território queimado no Estado espanhol pertence à Galiza, apesar de representar só 5,4% da superfície florestal estatal

31 de Julho de 2004

Nom som dados da esquerda independentista galega, mas do Ministério espanhol do Ambiente, feitos públicos pola sua titular, a ministra Cristina Narbona. Os montes da Comunidade Autónoma Galega (CAG) representam 5,4% da superfície florestal total do Estado espanhol, e no que vai de ano representamos 39% do território queimado polos fogos florestais no mesmo Estado espanhol. Até o dia 18 de Julho, 16.000 hectares de floresta galega fôrom arrasadas polo fogo, o que fai de 2004 o pior ano desde 1997. 1,14% do monte galego, umha quinta parte da província da Corunha, ardeu neste ano na nossa naçom.

Em número de incêncios, a CAG mantém também o duvidoso "privilégio" de registar metade do total do Estado, com mais de 6.000, que atingírom principalmente mato e monte aberto (23.956 hectares).

Porém, e como sempre dizemos, estas cifras oficiais devem ser interpretadas com cautela, pois tendem para maquilhar umha realidade bem mais grave. Além disso, a faixa leste da Galiza, excluída da CAG, nom fica contabilizada nesses dados oficiais. Finalmente, desde o dia 18 de Julho já se registárom diversos novos incêndios na Galiza, nomeadamente os que calcinárom 1.300 hectares em terras administrativamente incluídas na chamada "Província de Ourense".

Entidades ecologistas galegas tenhem insistentemente denunciado a falta de umha estratégia institucional que enfrente a raiz do problema dos incêndios florestais, o que se plasma nom apenas nas graves carências em meios materiais e humanos, como também na falta de vontade para investigar as causas e interesses envolvidos nesta grave problemática.

Voltar à página principal