Estado espanhol tenta bloquear solidariedade galega

9 de Junho de 2004

Segundo pudo saber Primeira Linha em Rede, instáncias eleitorais e ainda judiciais poderám estar a tentar evitar que se verifique a solidariedade galega com o povo basco. Diversas barreiras formais fôrom colocadas nalgumhas delegaçons provinciais ante a documentaçom apresentada polo dirigente independentista galego Carlos Morais.

A obstaculizaçom é contraditória com a aceitaçom na província de Araba, que já outorgou as acreditaçons às pessoas designadas pola candidatura independentista galega. Porém, em Guipúscoa e Biscaia colocárom-se problemas formais em relaçom com as assinaturas do representante galego, questionando-se até a presença de Carlos Morais no momento da entrega. A realidade é que o responsável do Comité Eleitoral de NÓS-UP viajou às diversas províncias bascas, incluída Navarra, como representante da esquerda independentista galega, entregando pessoalmente os documentos pertinentes.

Nesta mesma tarde, NÓS-UP realizou as gestons requeridas para resolver o bloqueio, para finalmente possibilitar o exercício de um direito democrático por parte do povo basco, como é o de votar por quem melhor entender.

De outra parte, alguns meios de comunicaçom pretendêrom dar a entender que o gesto de NÓS-UP incluía qualquer renúncia à candidatura própria. Fontes da candidatura independentista galega ratificárom a concorrência da única lista 100% galega às eleiçons de domingo. Hoje mesmo, decorrêrom duas novas acçons eleitorais: um comício em Ferrol e um outro em Ponte Vedra. NÓS-UP esclareceu que a solidariedade internacionalista nom se contradi com a centralidade do projecto nacional, de esquerdas e antipatriarcal representado pola organizaçom unitária independentista galega.

 

Voltar à página principal