Repressom sindical: condenas de prisom para os três trabalhadores de Lugo

5 de Novembro de 2004

A Audiencia Provincial de Lugo ratificou finalmente as penas de prisom para os três sindicalistas da CIG sarcasticamente acusados de um "delito contra os direitos dos trabalhadores", além de outro de lesons e resistência, por exercerem o direito à greve como parte de um piquete na greve de 20 de Junho de 2002.

Guilherme Rei foi portanto condenado a seis anos e um mês de prisom, José Luis Trigo a cinco anos e José Mendes a dous anos e seis meses também de prisom, para além do pagamento das custas do processo penal e diversas sançons económicas para cada um dos sindicalistas em conceito de coima e indemniaçom ao empresário denunciante, à polícia local luguesa e ao SERGAS.

Há ainda mais umha vintena de pessoas à espera de julgamento pola mesma jornada de greve na cidade das muralhas, fazendo parte do mesmo processo, pondo de relevo a brutal ofensiva que as forças mais reaccionárias de Lugo iniciárom contra a auto-organizaçom operária.

NÓS-Unidade Popular, que desde o primeiro momento fijo chegar a sua solidariedade aos três trabalhadores, voltou a emitir um comunicado de denúncia da sentença e em apoio à luita sindical em Lugo. Por sua vez, a CIG anunciou um recurso de amparo ante o Tribunal Constitucional e o pedido de indulto, o que nom impedirá a entrada em prisom dos três sindicalistas.

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Milhares de pessoas em solidariedade com os três sindicalistas de Lugo (+...)

Solidariedade de NÓS-Unidade Popular com os três sindicalistas da CIG de Lugo (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

Manifestaçom em solidariedade com os três trabalhadores agora sentenciados, decorrida em Lugo a 29 de Fevereiro deste ano