NÓS-UP anuncia que participará na mobilizaçom de domingo em Ferrol, denunciando o colaboracionismo entre as direcçons sindicais, PP e PSOE

23 de Setembro de 2004

NÓS-Unidade Popular fijo público um comunicado em que anuncia a sua participaçom na mobilizaçom em defesa do sector naval público galego, que decorrerá no dia 26 de Setembro em Ferrol. Porém, @s independentistas denunciarám como os representantes dos Comités de Empresa de Izar permitírom a participaçom na manifestaçom dos partidos que executárom e executam as agressons ao sector da construçom naval, PP e PSOE.

De facto, hoje mesmo trascendeu em diversos meios a participaçom na manifestaçom do próximo domingo dos conselheiros da Indústria (Juan Rodríguez Yuste) e da Justiça (Jesus Palmou), além de representantes locais do PSOE e do próprio PP.

O próprio Manuel Fraga louvou o pacifismo das manifestaçons d@s trabalhadores/as de estaleiros acontecidas até agora na Galiza. Explicitamente, e ante alguns conatos de acçons mais contundentes por parte dos sectores mais afectados pola privatizaçom, Fraga pediu que "Galiza continue a dar exemplo de nom meter a violência" nas mobilizaçons operárias em defesa do direito ao trabalho.

A seguir, reproduzimos integramento o comunicado de NÓS-Unidade Popular ante a manifestaçom nacional do próximo domingo.

 

NÓS-UP ante a manifestaçom do dia 26 em Ferrol contra a reconversom

Quem executa as políticas anti-obreiras e o desmantelamento dos estaleiros públicos galegos nom pode manifestar-se junto a quem padece essas políticas

NÓS-Unidade Popular quer fazer pública a sua posiçom ante a manifestaçom prevista em Ferrol para o dia 26 de Setembro convocada por todos os sindicatos e com o apoio de todos os partidos políticos, incluídos PSOE e Partido Popular, em defesa do sector naval.

A nossa organizaçom, representativa da esquerda independentista galega, rejeitou na passada semana participar na reuniom preparatória da citada mobilizaçom ao estarem convidadas à mesma as organizaçons políticas responsáveis polo projecto de privatizaçom e destruiçom de postos de trabalho em Izar, PSOE e Partido Popular.

Finalmente, como se previa, as dirigências sindicais acordárom admitir a hipócrita participaçom desses partidos na mobilizaçom do dia 26 em defesa do sector naval. Essa participaçom situa-nos ante umha surrealista convocatória em que os responsáveis pola crise industrial galega marcham junto a quem reclama soluçons. Os interesses localistas de PP e PSOE fam-nos jogar a duas bandas promovendo umha nova selvagem reconversom e, ao mesmo tempo, manifestando-se de maos dadas com quem vai sofrer em carne própria essa reconversom: os trabalhadores e trabalhadoras da Terra de Trasancos, nomeadamente @s mais jovens, e sobretodo os filhos e as filhas desses trabalhadores e trabalhadoras que verám confirmada a desapariçom de milhares de postos de trabalho directa ou indirectamente relacionados com o sector naval na comarca.

NÓS-Unidade Popular negou-se desde o primeiro momento a participar de semelhante farsa. A nossa participaçom nessa mobilizaçom servirá para denunciar a cumplicidade dos comités de empresa e as direcçons sindicais com os responsáveis políticos por este novo ataque ao povo trabalhador galego.

Longe de tomarmos parte numha nova procissom que permita lavar a cara aos dirigentes do PP e o PSOE implicados na crise dos estaleiros, no dia 26 reclamaremos nas ruas de Ferrol, mais umha vez, a autoorganizaçom operária e popular em defesa do direito ao trabalho, do emprego industrial público galego e por umha convocatória de greve geral comarcal para forçar a retirada do projecto privatizador por parte do Governo espanhol do PSOE.

Permanente Nacional de NÓS-Unidade Popular
Galiza, 22 de Setembro de 2004

Voltar à página principal