A classe operária e a questom nacional

V. I. Lenine
Escrito em 3 de Maio de 1913
(Adaptado das Obras Escolhidas, 1ª ediçom em português, Ediçons Avante"-Ediçons Progresso. Lisboa-Moscovo, 1984 t. 2. Pgs. 98-99)

A Rússia é um país heterogéneo do ponto de vista nacional. A política governamental, a política dos latifundiários apoiados pola burguesia, está inteiramente impregnada do nacionalismo das centúrias negras .

Essa política está apontada contra a maioria dos povos da Rússia, que constituem a maioria da sua populaçom. Ao mesmo tempo, levanta a cabeça o nacionalismo burguês das outras naçons (polaca, judaica, ucraniana, georgiana, etc.), procurando desviar a classe operária, através da luita nacional ou da luita por umha cultura nacional, das suas grandes tarefas mundiais.

A questom nacional exige umha formulaçom e resoluçom claras por todos os operários conscientes.

Quando a burguesia luitava pola liberdade juntamente com o povo, juntamente com os trabalhadores, ela defendia a completa liberdade e a completa igualdade das naçons. Os países avançados, a Suíça, a Bélgica, a Noruega, etc., dam-nos um exemplo de como naçons livres vivem pacificamente em conjunto ou se separam pacificamente umhas das outras num regime realmente democrático.

Hoje a burguesia receia dos operários, procura a aliança com os Purichkévitch , com a reacçom, atraiçoa a democracia, defende a opressom ou a desigualdade das naçons, procura corromper os operários com palavras de ordem nacionalistas.

Só o proletariado defende nos nossos dias a verdadeira liberdade das naçons e a unidade dos operários de todas as naçons.

Para que diferentes naçons livre e pacificamente vivam em conjunto ou se separem (quando isto lhes for mais conveniente), constituindo estados diferentes, para isso é necessária a completa democracia defendida pola classe operária. Nengum privilégio para nengumha naçom, para nengumha língua! Nem a mínima perseguiçom, nem a mínima injustiça para com a minoria nacional! -tais som os princípios da democracia operária.

Os capitalistas e latifundiários querem a todo o custo dividir os operários das diferentes naçons, enquanto eles próprios, os poderosos deste mundo, vivem excelentemente em conjunto como accionsitas de "negócios" que "rendem" milhons (como as minas de Lena) -quer sejam ortodoxos ou judeus, russos ou alemáns, polacos ou ucranianos, todos aqueles que possuem capital exploram em boa harmonia os operários de todas as naçons.

Os operários conscientes som pola completa unidade dos operários de todas as naçons em todas as organizaçons operárias, sejam elas educativas, sindicais, políticas, etc. Que os senhores democratas-constitucionalistas se desonrem negando ou diminuindo a igualdade de direitos dos ucranianos. Que a burguesia de todas as naçons se entretenha com as frases mentirosas sobre a cultura nacional, sobre as tarefas nacionais, etc., etc.

Os operários nom se deixarám dividir com quaisquer discursos melífluos sobre a cultura nacional ou a "autonomia nacional cultural" . Os operários de todas as naçons defendem juntos, unidos, em organizaçons comuns, a completa liberdade e a completa igualdade de direitos -garantia da verdadeira cultura.

Os operários criam em todo o mundo a sua cultura internacional, desde há muito preparada polos defensores da liberdade e os inimigos da opressom. Ao velho mundo, ao mundo da opressom nacional, das querelas nacionais ou do isolamento nacional, os operários oponhem o novo mundo da unidade dos trabalhadores de todas as naçons, no qual nom há lugar para nengum privilégio nem para a mínima opressom do homem polo homem.

 

Voltar à página principal