Militares da Guarda Real e da Brigada de Intervençom Rápida apunhalam mendigos em Madrid

22 de Agosto de 2004

Um grupo de quatro neonazis apunhalárom e espancárom dous mendigos nas ruas da capital espanhola na passada quarta-feira. Até aí, poderia tratar-se de mais um caso de actuaçom dos bandos fascistas que habitam Madrid e outras cidades do Estado espanhol. Porém, neste caso trascendeu a ligaçom, também habitual, desses grupos com as forças policiais e militares espanholas.

Dous dos quatro agressores resultárom ser um integrante da Guarda Real e de umha Brigada de Intervençom Rápida. O primeiro deles preocupou-se especialmente por evitar que se conhecesse a sua relaçom com a força militar ligada à Casa Real bourbónica, o que finalmente nom lhe foi possível.

O ataque aconteceu quando dous mendigos estavam a preparar o local em que iam dormir, em plena rua. Umha mulher, integrante do grupo agressor, achegou-se e começou a increpá-los. A seguir, outros três elementos chegárom ao local e começárom a bater brutalmente nas duas pessoas, que estavam deitadas no chao. Em certa altura, um dos agressores tirou um punhal e esfaqueou um dos indigentes, fugindo os quatro fascistas até finalmente serem detidos. Os quatro levavam consigo fivelas, cintos, anéis, pulseiras e porta-chaves com simbologia neonazi.

 

Voltar à página principal

 

 

Desfile da bourbónica Guarda Real espanhola, um de cujos integrantes participou no esfaqueamento de um mendigo em Madrid