Oficial israelita mata umha meninha de dous tiros na cabeça e a seguir esvazia o carregador sobre o corpo inerte

11 de Outubro de 2004

Soldados israelitas e vizinhos palestinianos de Rafá fôrom testemunhas. Um oficial do exército sionista matou umha meninha palestiniana de 13 anos, Imane al Hams, quando se dirigia à escola em Rafá, no sul de Gaza. Ao passar perto de umha posiçom do exército ocupante israelita, soldados disparárom contra a rapariga, que tentou fugir, ficando ferida de um tiro. Deitada no chao, um oficial achegou-se dela e disparou-lhe duas vezes na cabeça. A seguir, pujo a sua arma em posiçom de disparos automáticos e realizou umha rajada descarregando todas as balas sobre o corpo já inerte.

Fontes militares israelitas justificárom o assassinato afirmando que a meninha entrara numha zona proibida com o que "semelhava um artefacto explosivo", perto de um posto militar. Na verdade, era apenas umha rapariga a caminho da escola, que acabou por dar entrada no hospital de Rafá morta e com vinte impactos de bala em diversas partes do seu corpo.

Prossegue, portanto, a operaçom que o sionismo denomina "Dias de penitência", com o apoio expresso norte-americano, verificado com o veto na ONU ante a proposta de solicitar o fim da ofensiva israelita.

 

Voltar à página principal