Resistência iraquiana mata responsável pola segurança petrolífera e sabota os principais oleodutos do país

17 de Junho de 2004

A polícia de Kirkuk, no Iraque, confirmou a morte do chefe de segurança para a indústria do petróleo no norte do país. Fontes policiais afirmam que Ghazi al-Talabani morreu instantaneamente quando foi atacado por homens armados do lado de fora de sua casa.

Al-Talabani era parente de Jalal Talabani, líder da Uniom Patriótica do Curdistám, formaçom integrada no Governo fantoche pró-imperialista. A morte ocorre na seqüência de umha ofensiva guerrilheira contra as infraestruturas do petróleo, que tenhem produzido a paralisaçom do espólio nas principais exploraçons petrolíferas iraquianas.

Os mercados internacionais estám a ficar ressentidos pola interrupçom do bombeio num oleoduto no Norte do país, perto de Kirkuk, petróleo levava para a Turquia. Também no Sul do país, um ataque num oleoduto levou a uma interrupçom do fluxo de combustível para o terminal de exportaçom da cidade de Bassorá.

Diante das notícias, os preços do petróleo no mercado internacional subírom na terça-feira. Estima-se que demore polo menos dez dias para fazer os reparos nos principais oleodutos do país, a um custo de 60 milhons de dólares por dia. Segundo o primeiro-ministro iraquiano, Iyad Allawi, a sabotagem de oleodutos custou mais de 200 milhons aos ocupantes nos últimos sete meses.

Antes da destruiçom do país pola invasom anglo-norte-americana, o país exportava em torno de 1,7 milhom de barris por dia (1,6 milhom partia do terminal de Bassorá). Hoje em dia, a taxa de exportaçom é 60% inferior, apesar da vigiáncia de 14 mil homens armados polas forças de ocupaçom.

Nos últimos meses, dezenas de ataques fôrom feitos contra oleodutos, mas os destes dias som considerados os mais sérios.

 

Voltar à página principal