Bush jura sobre a Bíblia enquanto exército ianque assassina inocentes no Iraque

21 de Janeiro de 2005

O dia de ontem resumiu numha única data todo o horror que o imperialismo é capaz de impor aos povos, embrulhado em grandes palavras e mentiras. Enquanto o genocida George W. Bush jurava o seu cargo sobre a Bíblia, as forças armadas estado-unidenses dedicavam-se ao que melhor sabem fazer: assassinar inocentes.

Foi na cidade de Tal Afar, a Norte do Iraque e já dura e repetidamente castigada polos bombardeamentos indiscriminados ianques, onde militares ocupantes norte-americanos abrírom fogo contra um veículo que, segundo eles, se negou a obedecer o alto dado polos fardados. O resultado: o pai e a mae mort@s e as cinco crianças (filh@s muito nov@s que viajavam com os pais no carro), salvadas milagrosamente com alguns ferimentos ligeiros.

 

Um fotógrafo que por acaso estava perto do local conseguiu fotografar a cena, permitindo que conheçamos a barbárie que está a acontecer diariamente no Iraque: como o exército mais poderoso do mundo leva a cabo um genocídio em toda a regra com a maior das impunidades.

Ante a evidência de que os factos iriam ter trascendência internacional, oficiais ianques tentárom arranjar o acontecido transmitindo as "condolências por este azarado incidente".

 

Entretanto, no outro extremo do mundo, o máximo responsável político por este novo assassinato assegurava que o objectivo do seu segundo mandato havia de continuar a ser "a expansom da liberdade em todo o mundo".

 

Voltar à página principal

 

 

As crianças, que escapárom milagrosamente da morte, entrárom em pánico ao se verem manchadas com o sangue dos pais mortos
Alguns irmaos choram enquanto outro deles é conduzido ferido a um hospital. O exército "salvador" ianque tinha já acabado outro dos seus gloriosos operativos "contra o terrorismo" iraquiano
Em lugar de ser processado e punido polos horrendos crimes de que é responsável, George W. Bush jura ante um padre e sobre a Bíblia novas campanhas "contra as tiranias"