Casamentos entre homossexuais: o fascista Gea Escolano exerce de cam de presa do Vaticano na Galiza

23 de Abril de 2005

Coincidindo com o reconhecimento de um elementar direito como é o dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo no Estado espanhol, o bispo da Diocese de Mondonhedo-Ferrol, José Gea Escolano, publicou ontem mesmo umha "carta pastoral". Nela, denuncia que a equiparaçom de direitos supom caminhar "para a demoliçom da família", reivindicando abertamente a restauraçom da proibiçom do casamento entre pessoas do mesmo sexo e comparando a via que abre a nova lei com "exercer a docência ou a medicina quem nom está capacitado para tal".

Agindo mais umha vez como agressivo cam de presa vaticanista na Galiza, o hierarca católico espanhol Gea Escolano cita directamente o documento da chamada "Congregaçom da Doutrina da Fé", responsabilidade do actual papa Joseph Ratzinger, dizendo que com a nova lei estamos ante "um acto gravemente imoral", e acrescentando como critério de autoridade que "isto nom o digo eu; tenhem-no dito os dous últimos papas".

O bispo integrista da diocese mindoniense sublinhou ainda que os cristaos nom devem limitar-se a "rezar padres-nossos e avemarias", num chamado à acçom coincidente com o apelo que ontem mesmo realizárom representantes do Estado Vaticano para que os funcionários e funcionárias boicotem a aplicaçom de umha lei que simplesmente reconhece direitos fundamentais como o de opçom sexual e a igualdade jurídica.

A nova lei representa um pequeno passo que nom impede que haja ainda evidentes discriminaçons para as e os homossexuais na Galiza, como a homofóbica reacçom da Igreja católica pom de manifesto.

 

Voltar à página principal

 

 

Gea Escolano, representante na Galiza do sector mais ultra da Igreja Católica, reforçado com a nomeaçom de Ratzinger como novo chefe do Estado Vaticano