Um exemplo e umha conclusom

3 de Fevereiro de 2005

Artigo de opiniom de Igor Lugris, membro do colectivo normalizador berziano Fala Ceive, em relaçom com o recente Congresso Extraordinário do Partido do Berzo e as decisons que tomou no que à nossa língua di respeito.

 

Um exemplo e umha conclusom

O Partido do Berzo (PB) celebrou um Congresso Extraordinário neste fim de semana passado, e, para além doutros temas, falou também sobre a língua galega. Nom é que tenham dado um grandíssimo passo adiante, mas iniciárom o caminho, e é justo reconhecer-lho. Segundo informa a imprensa, aprovárom, nom sem debate, o compromisso político de protegerem e fomentarem a língua galega, tanto dentro da própria organizaçom, como na sociedade. Além do mais, também acordou permitir o uso da nossa língua a nível interno, nas reunions e assembleias, "sempre e quando haja um tradutor".

Pode que para algumhas pessoas, sobretodo dentro da Comunidade Autónoma Galega (CAG), um compromisso assim seja insignificante. Mas nom é certo. Decerto, muitas pessoas poderemos considerá-lo insuficiente, mas nom é insignificante. Tem muito valor e representa um novo pequeno grande passo de cara a conseguirmos a normalizaçom lingüística no Berzo e no conjunto da Galiza oriental.

Tal e como Fala Ceive tem expresado publicamente aqui e aqui, o desejável seria que outras organizaçons com presença na comarca, como podem ser o PP (que governa em Ponferrada), o PSOE (que tem a presidência do Conselho Comarcal do Berzo), ou IU asumissem posturas semelhantes, mas muito tememos que nengumha dessas organizaçons vai ser capaz de iniciar, como o PB, esse caminho, porque isso significaria enfrentarem-se às suas direcçons provinciais, em Leom, e autonómicas, em Valhadolid. O que demonstra o exemplo do PB, que é umha organizaçom que nom tem dependências mais alá do Mançanal, é que dentro desse ente artificial chamado Castela e Leom é muito dificil conseguir a dignificaçom do galego.

 

Voltar à página principal