Primeira Linha adere ao documento assinado por NÓS-UP, Batasuna e Endavant, e apoia as críticas à manifestaçom do dia 13 de Novembro

9 de Novembro de 2004

Em relaçom com dous assuntos de actualidade nacional como som a apresentaçom na Galiza do documento tripartido "Pola Independência dos povos na Europa dos Povos" e a convocatória de manifestaçom realizada pola Plataforma Nunca Mais para o próximo dia 13 de Novembro, Primeira Linha expressa a sua adesom ao manifesto apresentado no passado 17 de Outubro em Barcelona (PPCC) por NÓS-UP, Batasuna e Endavant (OSAN). O nosso partido acha que o mesmo situa de maneira correcta qual deve ser a posiçom soberanista a respeito da Constituiçom europeia e das reformas estatutárias em curso nas naçons sem Estado submetidas por Espanha; daí que subscreva o conteúdo do mesmo e ratifique a necessidade de ganhar novas adesons no seio do Povo Trabalhador Galego e de aprofundar na concreçom das virtualidades que apresenta para o desenvolvimento dos projectos independentistas, socialistas e antipatriarcais nas nossas respectivas naçons.

Quanto à convocatória realizada pola Plataforma Nunca Mais para o dia 13 deste mês, Primeira Linha apoia a decisom adoptada por NÓS-Unidade Popular de ficar à margem das manobras eleitorais do autonomismo, que vem manipulando de maneira lamentável um organismo popular de grande valor na altura em que serviu para levar à rua toda a raiva e o protesto de um povo agredido pola maré negra do Prestige e a criminosa incompetência do Estado espanhol. Tendo sido a citada plataforma reduzida a instrumento de intervençom institucional do BNG, anulada a sua potencialidade de rebeldia anti-sistema, a esquerda independentista deve ser muito clara na sua desvinculaçom da posta ao serviço da Plataforma Nunca Mais de actuaçons partidistas do autonomismo.


Voltar à página principal