As FARC respondem à detençom ilegal de um dos seus dirigentes em território venezuelano

16 de Janeiro de 2005

No passado dia 13 de Dezembro, umha acçom combinada dos serviços secretos colombianos e estado-unidenses supujo a detençom ilegal em plena capital venezuelana de um membro da Comissom Internacional das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). O próprio Governo da Venezuela anunciou medidas em resposta a um seqüestro que violou a legislaçom internacional ao supor umha intervençom repressiva em terreno soberano doutro Estado sem o seu consentimento. Apresentamos a seguir o comunicado difundido nos últimos dias polo Secretariado do Estado Maior Central das FARC-EP.

O cam de guarda dos EUA

O seqüestro de Ricardo González, destacado integrante da Comissom Internacional das FARC, efectuado a 13 de Dezembro último em Caracas por organismos de segurança colombianos e estado-unidenses, com a cumplicidade de agentes anti-patrióticos e corruptos que envergonham a República irmá, deve tocar os alarmes de todos os governos e povos do continente.

Verificou-se uma grave transgressom do Direito Internacional e uma violaçom infame da soberania da República Bolivariana da Venezuela. O cam de guarda dos Estados Unidos, o mesmo que a partir do Palácio de Nariño provocou o holocausto humanitário da Colômbia, julga-se agora com pleno direito de efectuar incurssons com os seus bandos criminosos para além das fronteiras, reeditando assim o tenebroso Plano Condor da CIA que nos anos 70 semeou mortes, detensons e desaparecimentos no cone sul do continente.

Este acto de pirataria deve ser objecto de esclarecimento e reparaçom. Conclamamos os governos e os povos da Nossa América a exprimirem a sua solidariedade com as exigências que nesse sentido o governo bolivariano da Venezuela figer ao da Colômbia que, nom duvidamos, aterám-se às normas do Direito Internacional.

Historicamente, os governos da oligarquia colombiana fundamentárom na mentira a repressom ao seu próprio povo. O "Plano Patriota", como parte do Plano Colômbia, nada tem a ver com a pátria e sim com a geopolítica expansionista da Casa Branca que ameaça toda a regiom. A política de "Seguridad Democrática", máscara atrás da qual se oculta umha desalmada política fascista, nada tem a ver com a segurança de todos os colombianos e sim a dos paramilitares na Colômbia, pseudónimo com o qual se executam os mais abomináveis crimes de Estado. O qualificativo de "terrorista" ou "narcotraficante" com que hoje se calunia o povo em armas é uma patranha suja contra-insurreccional para desprestigiar a alta motivaçom política da sua luita e justificar a intervençom dos Estados Unidos no conflito interno da Colômbia. Por isso, desde o chefe de Estado para baixo, passando polo seu Director de Polícia e seu Promotor de bolso, mentem. Mentem e enganam a opiniom pública ao afirmar, contra toda a evidência, que Ricardo (Rodrigo Granda) foi capturado em território colombiano e nom em Caracas. Falsificam factos e circunstáncias como quando difundem extemporaneamente ordens de captura da Interpol com a pretensom de dar aparência legal aos seus desaforos. O actual governo da Colômbia nom é digno da mais mínima credibilidade.

Nengum governo do continente pode ter confiança num mandatário que, como Uribe, pede a umha potência estrangeira, os Estados Unidos, a invasom do seu próprio país e a deslocaçom de porta-avions ianques nas Caraíbas e no Pacífico. Um presidente assim é umha grave ameaça à segurança da América Latina.

Agradecemos todas as expresssons de solidariedade recebidas de muitas organizaçons do mundo, de intelectuais conhecidos, jornalistas e gente humilde polo seqüestro de Ricardo em Caracas e pola extradiçom de Simón Trinidad para os Estados Unidos. No momento em que o imperialismo atenta com a maior sanha contra a liberdades dos povos do mundo, a solidariedade com a luita que trava o nosso povo pola Nova Colômbia com justiça social e paz é a expressom esperançosa dos mais caros valores legados polo Libertador à humanidade.

Secretariado do Estado Maior Central, FARC-EP
Montanhas da Colômbia, 13/Jan/2005

 

Voltar à página principal

 

 

O dirigente guerrilheiro Ricardo González é conduzido polas forças repressivas colombianas após a sua detençom ilegal