FARC colombianas fam 14 baixas ao exército em resposta à ofensiva contrainsurgente de Uribe

3 de Fevereiro de 2005

Longe de ver-se enfraquecida e ainda menos derrotada, a guerrilha mais antiga e numerosa do continente americano, as colombianas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, está a manter a iniciativa no quadro de umha ofensiva militar que inclui razias massivas, guerra suja, colaboraçom ianque e actividades ilegais extra-territoriais, como o recente seqüestro de um dirigente guerrilheiro em solo venezuelano.

A guerrilha marxista das FARC fijo 14 baixas mortais e deixou mais 25 feridos num só ataque contra a base militar de Iscuandé, no Sudoeste do país, segundo reconheceu o comando governamental. Bombas de gás e explosivos explodírom no maior operativo guerrilheiro dos últimos meses. Militares da Armada colombiana, apoiados por helicópteros e lanchas fluviais, saírom atrás d@s guerrilheir@s após o ataque, que durou três horas durante a madrugada. A zona, situada a 800 quilómetros a Sudoeste de Bogotá, conta com importante presença das FARC, que combatem o Estado oligárquico colombiano comandado polo neofascista Álvaro Uribe, por sua vez apoiado pola Administraçom Bush.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

As FARC respondem à detençom ilegal de um dos seus dirigentes em território venezuelano (+...)

 

 

Voltar à página principal

 

 

Álvaro Uribe, representante da oligarquia colombiana, acompanhado por George W. Bush, padrinho da política contrainsurgente na Colômbia
Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia: 40 anos de armas na mao contra o sistema oligárquico colombiano