A Galiza perdeu 7.500 postos de trabalho no sector industrial nos últimos dous anos

22 de Dezembro de 2004

A Comunidade Autónoma da Galiza figura entre as que mais vírom reduzido o emprego industrial no Estado espanhol nos últimos anos, segundo o Inquérito de Populaçom Activa, que situa umha queda de 223.300 empregos no terceiro trimestre de 2002 para 215.800 no terceiro trimestre de 2004.

A perda de 7.500 postos de trabalho industrial na Galiza administrativa é geral. O estudo, que divide a CAG em quatro províncias, confirma que nas quatro houvo queda no emprego na indústria.

Os dados agora conhecidos venhem confirmar a Galiza como território submetido a umha importante destruiçom de empregos num sector estratégico como é o industrial. É a quarta Comunidade Autonóma entre as mais punidas pola perda de empregos na indústria, só ultrapassada pola Catalunha, o País Valenciano e Madrid.

Como dado relevante situa-se a perda produzida no sector têxtil galego, que atinge 20% no período referido, sendo como é um ramo com forte presença industrial na nossa naçom. A eufemística "deslocalizaçom" (transferência de empresas para países em que a mao de obra pode ser explorada à vontade) é assinalada como principal causa do esmorecimento industrial galego. De resto, está sem contabilizar a agressom em curso contra a indústria naval pública galega da comarca trasanquesa, que provocará em breve centenas de novos postos de trabalho destruídos através das pré-reformas massivas assinadas polos sindicatos espanhóis e o SEPI.

Apesar da perda de peso do sector industrial em número de empregos, a cifra de negócios no mesmo aumentou para o patronato industrial em 1,3% a respeito dos dados de 2002, atingindo 28 milhons de euros, o que representa 6,1% do volume de negócios gerados pola indústria no conjunto do Estado espanhol.

 

Voltar à página principal