Concentraçom em solidariedade com militante de BRIGA em Compostela

25 de Janeiro de 2005

No dia 27 de Janeiro será julgado em Compostela um militante da organizaçom juvenil independentista BRIGA, acusado de realizar pintadas em diversas zonas da capital da Galiza. A seguir, reproduzimos o comunicado feito público por BRIGA, convocando umha concentraçom em apoio ao jovem independentista.

CONCENTRAÇOM EM COMPOSTELA POLO JULGAMENTO DE UM MILITANTE DE BRIGA

Na próximo quinta-feira 27 de Janeiro às 10 h diante dos julgados de Compostela, BRIGA convoca umha concentraçom em apoio a um militante da organizaçom que será julgado, acusado polo Concelho de Compostela de realizar pintadas na zona velha e no ensanche da cidade durante a noite do 6 de Novembro de 2004.

Os dous agentes que testemunharám para a acusaçom, afirmam ter atopado nos petos
do casaco do acusado um spray de pintura, o qual nom é mais que umha tosca patranha, umha mentira calculada para assegurarem a condenaçom. Este peculiar jeito de defenderem a lei e mais a ordem, constitui o modo de agir habitual destes valentes, que além da violência empregam o engano e as falsidades como arma, como ferramenta de repressom sobre a juventude organizada na esquerda independentista.

BRIGA nom esquece que a polícia simplesmente cumpre as ordens ministradas desde o Concelho, que mantém a sua política de restriçom de direitos e de perseguiçom da liberdade de expressom. Do mesmo jeito que a polícia tem de "limpar" de mendicidade as ruas durante o Jacobeu, o PSOE e BNG mostram-se obsesionados por reprimirem o projecto da esquerda independentista, em especial a juventude organizada no MLNG, polo perigo que entranha para manter a sua "normalidade democrática". Se isso significa impor à juventude multas de centos de euros, prisom e perseguiçom policial por fazer murais, colar cartazes e qualquer outra actividade política de rua, nom duvidam em fazê-lo.

Com apenas quatro meses de percorrido desde o seu Congresso Nacional Constituinte, a nossa organizaçom juvenil prova já o que será umha constante enquanto BRIGA desenvolva o seu trabalho: O confronto directo com o fascismo e o reformismo, que trata de restringir toda actividade política dentro do "politicamente correcto" dentro do "permitido". Este será provavelmente o primeiro de muitos juízos políticos a moç@s organizad@s em BRIGA. Neste, e nos que venham, saberemos defender-nos.

 

Voltar à página principal