Mais um trabalhador galego morto no posto de trabalho

16 de Dezembro de 2004

Um operário morreu no concelho de Sarreaus na tarde de ontem no seu posto de trabalho, afogado numha poça por causa da corrente provocada pola absorçom de umha máquina de extracçom de areia. O homem era empregado de umha empresa areeira na paróquia de Folgoso, no citado concelho da Límia.

Lembremos que durante o presente ano, e até Setembro, a tendência era no conjunto do Estado espanhol à baixa quanto a número de acidentes. Porém, na Galiza houvo um aumento de 1,7% até Junho, passando-se de 17.939 para 18.239. Nos meses seguintes até Setembro, o aumento foi de 0,9% na Comunidade Autónoma da Galiza (ficam excluídos da estatística os territórios do Leste sem reconhecimento oficial da sua galeguidade).

Em 2003, a CAG registou oficialmente 46.000 acidentes laborais, morrendo 127 trabalhadores e trabalhadoras. As mortes no trabalho atingem especialmente a populaçom jovem, a mais castigada pola precariedade. 54% dos sinistros laborais som sofridos por menores de 34 anos. Vigo, a Corunha e Compostela som as cidades galegas em que acontece um maior número de acidentes.

A freqüência com que sabemos de novos sinistros, ferimentos e mortes no trabalho semelham confirmar a estatística, sem que até hoje nengumha instituiçom pública tenha pedido responsabilidades às entidades patronais, primeiras responsáveis da precariedade com que se trabalha na Galiza. Isso, apesar de ficar comprovada a relaçom directa entre precariedade e sinistros laborais.

 

Voltar à página principal