Militares sionistas matam a tiros umha meninha palestiniana

1 de Fevereiro de 2005

Umha meninha palestiniana de 10 anos, Noran Deed, morreu por vários disparos na cabeça realizados por soldados israelitas, quando estava no recreio, numha escola das Naçons Unidas em Rafah. No mesmo ataque, umha outra meninha, de sete anos, ficou ferida numha mao.

Frente à hipótese de qualquer acidente isolado, o administrador do colégio, membro da ONU, confirmou que é a quinta vez que crianças da citada escola som atingidas por disparos das forças armadas sionistas. Além do mais, estamos ante o segundo assassínio de palestinian@s em dous dias em Rafah, pois no dia anterior um homem de 65 anos foi morto a tiros por soldados israelitas na mesma cidade.

As boas palavras de Sharon ante a chegada ao poder pelestiniano da facçom mais pactista da Autoridade Nacional Palestiniana nom impedem que os factos continuem a confirmar as intençons do sionismo: a expulsom ou extermínio do povo palestiniano, enquanto milhares de judeus espalhados no mundo continuam a ser conduzidos à ocupaçom da pátria palestiniana. Nestes dias confirmou-se que todos os que moram na Etiópia emigrarám para a Palestina a finais de 2007. Entretanto, colonos da extrema direita sionista recusam-se a abandonar territórios ocupados comprometidos por Sharon ao governo palestiniano.

As organizaçons da resistência palestiniana estudam a ruptura do cessar-fogo que venhem mantendo nas últimas semanas.

 

Voltar à página principal