Cámara municipal de Narom renuncia a defender a oficialidade do galego nesse concelho

16 de Janeiro de 2005

Em dias passados, informamos da nova agressom judicial contra os direitos lingüísticos do nosso povo, após a sentença do Tribunal Superior de Justiça da Galiza (TSJG) que anulava a resoluçom plenária que em 2001 dera à nossa língua a oficialidade no concelho de Narom.

Na mesma informaçom publicada no nosso portal, deixávamos em suspenso a avaliaçom da resposta que pudesse dar o Governo municipal naronês. Exigíamos literalmente "um mínimo de dignidade e compromisso com a nossa língua nacional" através de um acto de insubmissom perante semelhante humilhaçom ao nosso povo. Finalmente, a vereadora da Cultura na Cámara de Narom, Ana Muñiz, anunciou o "acatamento da sentença" do TSJG, seguida da renúncia expressa do Governo municipal a qualquer resposta em defesa da decisom democrática de 2001. Nem sequer será recorrida a decisom judiciária, limitando-se a política da governante "Unidade por Narom" a um retórico anúncio de que o seu governo "trabalhará para que as leis sejam mais flexíveis neste aspecto" (sic).

Em opiniom do Governo municipal de Narom, o recurso nom será apresentado "polos gastos que representa, sem ter assegurado o sucesso". Polos vistos, a defesa da dignidade e os direitos civis dos naroneses e as naronesas sai muito caro, sendo preferível capitular ante essa maquinaria espanholizadora chamada "justiça espanhola".

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

NÓS-UP denuncia sentença do TSJG em relaçom com a oficialidade do galego (+...)

Tribunal Superior de Justiça da Galiza anula declaraçom do galego como língua oficial do Concelho de Narom (+...)

 

Voltar à página principal

 

 

J. Gato, presidente da Cámara de Narom