NÓS-UP denuncia montagem policial contra a militáncia independentista em Ferrol

18 de Fevereiro de 2005

NÓS-Unidade Popular denunciou umha nova manobra policial enquadrada na estratégia permanente de repressom política contra a esquerda independentista, que se verifica em todos os lugares em que existem estruturas organizativas do nosso soberanismo socialista a fazer trabalho político. Desta vez, a montagem parte do acontecido há cinco meses atrás numha manifestaçom operária na cidade de Ferrol. Reproduzimos integramente o comunicado remetido por NÓS-UP aos meios de comunicaçom:

 

NÓS-Unidade Popular denuncia umha nova montagem policial contra a militáncia independentista em Ferrol

NÓS-Unidade Popular quer denunciar publicamente a nova farsa promovida pola chamada "brigada de informaçom" da Polícia espanhola em Ferrol para tentar culpabilizar seis filiad@s da nossa organizaçom na comarca de Trasancos, em relaçom com o lançamento de ovos contra Juan Fernández na manifestaçom em defesa do sector naval do passado 26 de Setembro nessa cidade.

Naquela manifestaçom, convocada polos sindicatos maioritários, o ex-conselheiro de Indústria e actual vice-presidente da Cámara de Ferrol, Juan Fernández, foi increpado diante da sede municipal por um sector da grande manifestaçom que percorreu as ruas da cidade. Alguns ovos caírom sobre o líder de Independientes por Ferrol, grupo político coligado com o PP no Governo de Ferrol.

Transcorridos cinco meses de aquela jornada, seis filiados de NÓS-Unidade Popular e um outro vizinho de Ferrol acabam de receber citaçons para serem julgados no próximo dia 25 de Fevereiro acusados polo filho de Juan Fernández de umha falta de lesons.

A documentaçom que apoia a denúncia é umha delirante sucessom de falsidades baseadas sem dúvida em informaçons fabricadas pola chamada "brigada de informaçom" da Polícia espanhola em Ferrol. A falta de rigor começa pola imprecisom ao sinalar a data em que a citada manifestaçom tivo lugar. Cita-se como data o dia 29 de Setembro, quando na realidade foi o dia 26, segundo pode ser confirmado consultando a hemeroteca. Este facto, que poderia parecer um erro menor, é só a primeira das invençons presentes na "informaçom" fabricada pola polícia e na qual se baseou sem dúvida a denúncia do filho de Juan Fernández.

Sem dúvida, ante a evidência de que nom lhe foi possível identificar as pessoas que naquela jornada lançárom ovos contra o político, a Polícia decidiu elaborar umha lista com o nome de sete independentistas para que fossem denunciados polo filho e Juan Fernández, com a intençom de "carregar-lhes o morto".

Naturalmente, a acusaçom nom tem a mais mínima base. Seis dos companheiros acusados estavam efectivamente na manifestaçom, acompanhados de outras pessoas que podem dar fé de que em nengum momento participárom nos factos denunciados. Porém, a mais relevante e significativa das trapalhadas que a Polícia fabricou para criminalizar a nossa militáncia é o facto de que o sétimo acusado nem sequer participou na manifestaçom, encontrando-se nesse momento na casa.

Qualquer dos companheiros acusados tem razons para ficar perplexo ante esta denúncia, que parece querer obrigá-los a demonstrar a inocência por terem participado numha manifestaçom junto a dezenas de milhares de pessoas. Mas imaginemos a incredulidade do sétimo vizinho de Ferrol, que se vê denunciado por uns factos acontecidos numha manifestaçom em que nom participou!

Nom é a primeira vez que a chamada "brigada de informaçom" da Polícia espanhola em Ferrol protagoniza acontecimentos como este. As denúncias, os seguimentos, acossas, subtracçom de material político e até insultos a militantes e simpatizantes da esquerda independentista na comarca de Trasancos é constante. Existem exemplos de sentenças judiciais que o confirmam, e também tem havido outras acusaçons sem base como estas de que agora temos conhecimento. A última foi a falsa acusaçom contra dous companheiros, finalmente absolvidos, polo derrubamento de um monumento a Franco em Narom.

Pola nossa parte, de NÓS-Unidade Popular queremos manifestar o nosso incondicional apoio aos sete vizinhos de Ferrol que irám ser arbitrariamente julgados por uns factos com os quais nom tenhem relaçom nengumha. Esta nova invençom policial só procura acossar e criminalizar o independentismo galego, demonstrando que a Polícia espanhola mantém com o PSOE no poder os mesmos critérios políticos de actuaçom que já demonstrava com o Partido Popular.

Longe de conseguir a nossa renúncia a exercer os nossos direitos civis e políticos, este tipo de actuaçons repressivas só nos encoraja a manter o rumo na luita pola independência e o socialismo numha Galiza livre do patriarcado.

 

:: Mais informaçons sobre este tema

- Dezenas de milhares em defesa do emprego em Ferrol (+...)

- NÓS-UP anuncia que participará na mobilizaçom de domingo em Ferrol, denunciando o colaboracionismo entre as direcçons sindicais, PP e PSOE (+...)

- AGIR adere à manifestaçom em defesa da construçom naval pública (+...)

- Mobilizaçons operárias no Condado e Trasancos (+...)

- PP, PSOE, IF, BNG e IU condenam conjuntamente a reacçom d@s operári@s de IZAR frente à provocaçom de Juan Fernández (+...)

- O tenente de alcaide de Ferrol paga a sua prepotência ante trabalhadoras/es de IZAR (+...)

 

Voltar à página principal