Pressons sionistas para que o Governo municipal de Oleiros suspenda umha campanha de denúncia da sua política de extermínio

16 de Novembro de 2004

A embaixada sionista em Madrid está a pressionar nos últimos dias o Governo espanhol e, directamente, o presidente da Cámara de Oleiros (A. Garcia Seoane) para que se detenha a campanha institucional posta em andamento por essa instituiçom municipal.

Na campanha, o Governo presidido polo independente Garcia Seoane denuncia a política nazi do Estado de Israel, e concretamente a figura de Sharon, contra o povo palestiniano, massacrado impunemente polas forças armadas ocupantes.

O embaixador do sionismo no Estado espanhol, Víctor Harel, reclamou ao ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol a paralisaçom da campanha de denúncia em Oleiros, tendo chegado mesmo a ligar telefonicamente para Garcia Seoane, ameaçando-o polo que a extrema direita governante em Israel considera "campanha anti-semita".

Garcia Seoane denunciou publicamente as pressons e ameaças do representante diplomático de Sharon, sem que por enquanto o Governo espanhol tenha defendido o direito do Governo municipal oleirense a defender os direitos humanos e denunciar a política de extermínio sionista contra o povo palestiniano.

Painéis informativos e outros meios de difusom configuram a campanha institucional com que a Cámara municipal de Oleiros está a mostrar a solidariedade do povo galego com a causa palestiniana. Sendo umha atípica campanha no seio de regimes pseudo democráticos como o vigorante na Galiza, os representantes de um Estado terrorista como Israel permitem-se realizar pressons e ameaças que contam com o silêncio cúmplice do próprio Estado espanhol.

 

Voltar à página principal

 

 

Imagem de um dos painéis luminosos em que se manifesta a repulsa do povo oleirense à política sionista de extermínio