Manuel Fraga ri-se no Porto da candidatura galego-portuguesa a Património Oral da Humanidade

9 de Fevereiro de 2005

O ainda presidente da Junta da Galiza, velho fascista e motivo de vergonha para os galegos e galegas de convicçons nacionais, democráticas e progressistas, voltou a dar mostras do seu talante, desprezando a nossa língua num acto oficial decorrido na cidade portuguesa do Porto.

Se bem nom é novidade ouvir Fraga falar espanhol em representaçom da instituiçom pública que preside, desta vez o facto atingiu maior simbolismo ao tratar-se de um acto oficial inserido na apresentaçom da candidatura a Património Imaterial da Humanidade da "Tradiçom Oral Galaico-Portuguesa". Daí que os próprios media portugueses informassem da impostura do presidente de honra do PP espanhol.

O projecto encontra-se em perigo pola falta de finaciamento por parte das instituiçons envolvidas (Governo português, Junta da Galiza e Governo espanhol), segundo @s promotores galeg@s e portugueses da iniciativa, que se referírom à intervençom de Fraga em espanhol no Porto como sendo umha "traiçom ao nosso trabalho. Estamos envergonhados. Estivemos durante tanto tempo a trabalhar para um projecto galaico-português e agora ele fala em espanhol", em palavras de Carme Souto, umha das promotoras.

Lembremos que a proposta partiu de 80 escolas galegas e portuguesas, e procura o reconhecimento da UNESCO para a cultura tradicional, popular, lingüística, musical e de outras manifestaçons comuns galegas e do Norte de Portugal. A decisom da UNESCO deverá ser feita pública no mês de Julho. Agora, o próprio Manuel Fraga despreza a iniciativa entrando como um elefante numha loja de porcelana, e promovendo o espanhol em representaçom da Junta da Galiza em terras portuguesas. Infelizmente, as próprias instituiçons portuguesas permitem continuamente aos mandatários espanhóis atitudes semelhantes. Para nós, como galeg@s, é só mais umha mostra da atitude do velho fascista, como tantas outras ao longo dos anos que leva no poder autonómico, perante o processo de extinçom que sofre a nossa comunidade lingüística.

 

Voltar à página principal