Universidade de Compostela avança na espanholizaçom da docência

3 de Março de 2005

Nom som dados da esquerda independentista, que leva anos denunciando a espanholizaçom acelerada e planificada da sociedade galega dentro de um plano estratégico marcado polo espanholismo que detém o controlo institucional, político e económico na Galiza.

É o próprio Serviço de Normalizaçom Lingüística da Universidade de Compostela (USC) que publica no seu boletim os dados correspondentes ao ano lectivo actual, destacando o avanço da espanholizaçom docente na principal universidade da Galiza. Com base no Plano de Organizaçom Docente (POD), 19 dos 76 departamentos da USC incluem 100% de horas lectivas em espanhol, enquanto nengum departamento lecciona 100% das aulas em galego.

Os plenamente espanholizados som Cirurgia, Pediatria, Enfermagem, Medicina, Obstetrícia, Anatomia Patológica, Dermatologia, Estomatologia, Farmácia, Farmacologia, Genética, Bioquímica, Microbiologia, Física da Matéria, Física de Partículas, Química Analítica, fisiologia Vegetal, Direito Mercantil e do Trabalho e Direito Comum.

No departamento com maior presença do nosso idioma, o galego só atinge 74,86% do horário, enquanto outros 18 departamentos chegam só a 10% de uso docente em galego. Outros 19 departamentos tenhem entre 10% e 25% de docência em galego.

Em 11 departamentos a margem de uso da nossa língua é entre 25 e 50% do horário, enquanto som só 9 aqueles que ultrapassam 50% de aulas em galego (Métodos de Investigaçom e Diagnóstico em Educaçom, Filologia Galega, Economia Aplicada, Física Aplicada, Filosofia e Antropologia, História Contemporánea, História e Instituiçons Económicas, Teoria e História da Educaçom e Ciências da Comunicaçom.

A gravidade da situaçom é ainda maior do que esta fotografia revela se levarmos em conta a tendência interanual, que indica umha eloqüente perda de horas lectivas no nosso idioma. Fora da retórica pseudonormalizadora que costumam usar @s responsáveis da instituiçom universitária, a realidade dos factos mostra-nos quais som os verdadeiros objectivos de quem marca a política lingüística na USC e nas restantes universidades e instituiçons educativas, que coincidem com as tendências da que era tida pola universidade mais galeguizada do País.

 

Voltar à página principal