Primeiro operário morto no trabalho em 2006

2 de Janeiro de 2006

O ano estreou-se no mercado laboral galego com um novo trabalhador falecido em acidente quando desenvolvia a sua jornada. Foi no Porrinho e a vítima, um jovem de 28 anos, David Groba Gonçales, que começava no posto de trabalho como operário na extracçom de granito nas canteiras de Átios e morreu ao cair-lhe em cima um bloco de pedra de grandes dimensons.

O jovem trabalhador era vizinho de Salvatera de Minho e começava hoje o trabalho para a empresa. A sua morte confirma que pouco ou nada tem mudado com a chegada do novo Governo autonómico nesta matéria, e as mortes e acidentes de diversa gravidade continuam a suceder-se no meio da maior das impunidades por parte do patronato e a administraçom.

De facto, a da Galiza foi a terceira Comunidade Autónoma do Estado, em termos absolutos, quanto a número de mortes em acidente laboral no sector da construçom durante 2005, só por trás de Madrid e a Andaluzia (ambas comunidades com umha populaçom muito superior em número à galega). 28 trabalhadores/as do citado sector morrêrom nos últimos doze meses em sinistros laborais como o de hoje no Porrinho. A tendência à alta continua e as medidas de choque anunciadas por Peres Tourinho à chegada ao poder nom chegam por enquanto...

 

Voltar à página principal