Actividades diversificadas de AGIR em defesa da língua, contra a ocultaçom da mulher e pola liberdade sexual

23 de Maio de 2005

A actividade independentista no seio do estudantado galego continua a bom ritmo da mao de AGIR. No seu web nacional, a organizaçom estudantil informa da convocatória de paro no centro de ensino de Salvaterra de Minho no dia 18 de Maio, quarta-feira, reclamando umha "escola nossa", e um "Ensino em Galego". O centro foi paralisado a partir das 13 horas, realizando-se umha concentraçom às portas do mesmo por parte do alunado.

Já no dia 20 e desta vez no IES Pedra da Áuga em Ponte Areas e no IES de Salvaterra de Minho, AGIR organizous duas actividades sobre liberdade afectivo-sexual que contárom com a assistência de mais de 100 estudantes, com participaçom de Inês Rodo Montes e Ángelo Meraio como responsáveis das actividades e reflexons propostas.

AGIR informa de que as actividades fôrom realizadas "com o objectivo de ajudar a romper tabus sobre a sexulidade, logrando conscientizar o estudantado a respeito da diversidade afectivo-sexual assim como desmascarar a opressom do patriarcado sobre a nossa sexualidade, as nossas diferentes opçons e o beneficioso de libertar-se de preconceitos para poder viver umha sexualidade plena que se baseie no prazer".

Durante os dias 23 e 24 de Maio, decorrem as VI Jornadas Feministas na Faculdade de Arte, Geografia e História da Universidade de Compostela (USC), organizadas também por AGIR e que desta vez se dirigem a analisar a ocultaçom da mulher em diversas disciplinas. Com elas, AGIR afirma querer "dar mais um passo para resgatar a nossa história e construir a nossa identidade como mulheres e como luitadoras por um futuro digno". As palestras serám às 19:30 horas e nelas participarám Raquel Miragaia ("Mulheres e Língua"), Mariám Marinho ("Mulheres e Geografia") e Guillermina Domínguez ("Mulheres e Arte").

Todos os pormenores sobre as citadas iniciativas podem ser consultados no web nacional de AGIR.

Voltar à página principal