Assembleia de Mulheres do Condado apoia mulheres agredidas sexualmente por um vizinho das Neves

24 de Junho de 2005

Reproduzimos a seguir na íntegra o comunicado emitido pola Assembleia de Mulheres do Condado (AMC) em relaçom com o julgamento do próximo dia 27 em Ponte Vedra contra um significado agressor sexual da comarca, em que se apoia a iniciativa das jovens denunciantes e se convoca umha concentraçom ante os julgados.

CONCENTRAÇOM NOS "JULGADOS DA PARDA" EM PONTE VEDRA

A Assembleia de Mulheres do Condado quer informar mediante o pressente comunicado, que o vindouro dia 27 de Junho às 10.45 da manhá terá lugar o juízo contra J.L.E.R. pola denúncia que tem de umha rapaza do concelho de Neves. O acussado enfronta-se a acussaçom de violaçom em grao de tentativa e "retençom ilegal".

Mas este nom será o único juízo que terá por factos similares, outra mulher tem denunciado violaçons por parte de este mesmo indivíduo, e inclusso tem umha criança que afirma ser fruto das violaçons, mas aínda nom tem data de juízo.
Desde o momento das denúncias tem dictada umha ordem de afastamento sobre elas, que incumpriu em reiteradas ocasions.

Em Dezembro do passado ano, a Assembleia de Mulheres do Condado começou umha campanha de denúncia contra as violaçons e agressons sexuais na nossa comarca. E, mais em concreto, contra o violador das Neves, que culminou com umha concentraçom diante da casa consistorial desta vila no dia 29 de Janeiro do presente ano, na que foi a primeira mobilizaçom feminista realizada nas Neves.

Desde a AMC consideramos que a valentia que amossou esta rapaza ao denunciar estes factos merece o máximo apoio social e em especial dos colectivos ou organizaçons feministas existentes, por esta raçom fazemos um chamamento a assistir à mobilizaçom amossando assím a nossa repulsa perante a violência machista.

Da Assembleia de Mulheres do Condado, voltamos a mostrar publicamente o nosso apoio a Rosa, a Vanessa e a todas as mulheres que vivem numha situaçom parecida.

Como já temos feito em outras ocasions, voltamos a manifestar que a soluçom para neutralizar aos agressores, virá dada com a autoorganizaçom feminina e a pressom social.


É hora de agir. É hora de evitarmos mais violaçons, mais agressons contra as mulheres.
Viva a luita feminista!

 

Voltar à página principal